A soja brasileira tem se apresentado de forma atrativa aos estrangeiros, prova disso é o aumento das exportações em todo país. O mês de julho superou o mesmo mês do ano passado em 39,35%. Em ritmo ainda mais acelerado, Mato Grosso do Sul, avançou no envio do grão para outros países. Na comparação entre os mesmos períodos, as exportações cresceram 129%.

No acumulado de janeiro a julho deste ano os agricultores do Estado já enviaram para outras nações o equivalente a 3,76 milhões de toneladas de soja. Se somarmos aos produtores rurais de outros estados, o volume de soja exportado chega a 70,72 milhões de toneladas.

Julho de 2020 apresentou recorde histórico de exportação em uma análise dos últimos cinco anos. “Podemos considerar questões de política externa para concretizarmos esses avanços nas exportações, só que mais importante é considerar a eficiência do agricultor brasileiro, que tem conseguido investir de maneira correta para apresentar volume e a qualidade esperada pelos mercados”, explica o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), André Dobashi. “Políticas públicas somados à ciência e tecnologias desenvolvidas por entidades de pesquisa, são elementos cruciais que contribuem com essas progressões,” completa o presidente.

China e Argentina foram os principais destinos da soja sul-mato-grossense. Os chineses sozinhos consumiram cerca de 83% do exportado no mês de julho deste ano, quando MS exportou 540 mil toneladas, ante as 236 mil toneladas exportadas em julho de 2019.

Milho

Nas exportações de milho, estadual e nacional, foram registradas quedas. Segundo a Aprosoja/MS isso se trata de um movimento natural devido a segunda safra que está com colheita em andamento e com baixos estoques de passagem.

Em julho de 2020 MS exportou 19,4 mil toneladas, mas no acumulado de janeiro a julho o volume somou 153,3 mil toneladas, sendo os principais destinos Irã (58%), Taiwan (30%) e Japão (6%).

Entre esses clientes a Aprosoja/MS destaca o Irã, que tem demonstrado interesse direto na produção dos grãos sul-mato-grossenses e estreitado relações comerciais, conforme reuniões ocorridas na última semana de julho, com entidades e órgãos governamentais sul-mato-grossenses.

Fonte: Agro Agência

Comentários