Feira Segura Senar. (Foto/Senar/MS)

Após meses de dificuldade, Tiago retomou o negócio de forma segura “tanto para quem vende quanto para quem compra”

“Depois de muita dificuldade, a Feira Segura do Senar trouxe as nossas vendas de volta e ajudou muitas famílias”. Essa é a avaliação que o horticultor Tiago Godoy faz sobre a primeira edição da iniciativa em Anaurilândia, no último sábado (7). Esse é o case de sucesso da série #TransformandoVidas desta semana.

“A nossa feira já acontecia antes da pandemia, e deixar de vender nossos produtos nos impactou muito. A gente só vendia de forma direta na feira, e ficar impedido de fazer isso, foi muito difícil, em todos os sentidos”, lembra o produtor.

Para ele, o formato da feira do Senar proporciona segurança tanto para quem comercializa, quanto para quem compra os produtos.

“É bem bacana pois, com esse vírus, não tem como você trabalhar de outra forma se não for com muita prevenção. É o que permite a gente continuar gerando nossa renda”, completa Godoy.

Nesta edição em Anaurilândia, foram 10 feirantes participando, 2.792 unidades vendidas e R$ 8.138,00 comercializados, entre folhosas, legumes e derivados de leite.

Voltada aos produtores rurais atendidos pela Assistência Técnica e Gerencial do Senar/MS, a Feira Segura fez com que todos retomassem suas vendas.

“Para mim, que tinha pouco conhecimento da área rural, o Senar só para agregou. Aprendi muito nos cursos, e hoje levo meus produtos com muita qualidade para vender na feira, de forma segura. Devo tudo aos técnicos do Senar, e quero continuar contando sempre com o apoio deles, porque são pessoas que realmente querem que você cresça”, ressalta.

Também já receberam edições da Feira Segura os municípios de Amambai, Caarapó, Corumbá, Paranhos, Três Lagoas e Nova Andradina.

Comentários