22.8 C
Campo Grande
sexta-feira, 12 de abril, 2024
spot_img

Furtos de fios, especialidades médicas e ruas esburacadas devem estar na pauta dos candidatos a prefeito da Capital

Este ano de 2024 é marcado pela disputa eleitoral municipal, estando em jogo os cargos de vereador, prefeito e vice-prefeito. Conhecer as propostas de cada postulante é o exercício fundamental que cada eleitor deve fazer, especialmente quando se trata de não apenas saber dos principais problemas que tanto atormentam a sociedade local, mas de ter projetos que tragam a futura solução.

Ao longo da última semana, o site Enfoque MS propôs aos seus leitores que discutissem sobre quais as situações existentes hoje em Campo Grande deveriam estar na pauta dos candidatos. Na nossa enquete, houve um empate entre os furtos de fios, falta de especialidades médicas e as ruas esburacadas e repletas de remendos, sendo que cada alternativa obteve 25% dos votos.

Furtos de fios, especialidades médicas e ruas esburacadas devem estar na pauta dos candidatos a prefeito da Capital

O furto de fios tem sido uma das queixas mais recorrentes na cidade, praticamente uma epidemia que tem provocado acidentes de trânsitos e prejuízos aos moradores e lojistas. Apesar de existir multa para quem é flagrado comprando o cobre retirado ilegalmente da fiação elétrica, ainda é preciso ter medidas maiores de punição para quem comete o ato e o receptor, além disso, ampliar a fiscalização.

A falta de especialidades médicas é outro transtorno que sempre é debatido em ano eleitoral, mas nunca solucionado em definitivo. Sem ter um hospital público municipal que atenda várias áreas da medicina, os pacientes precisam aguardar por mutirões e ações de saúde pública para conseguir um atendimento com o profissional desejado ou ter a paciência de aguardar a chamada via regulação do Sistema Único de Saúde (SUS).

A situação das ruas em Campo Grande se agravou muito nos últimos anos. Algumas avenidas antigas, como a Ernesto Geisel e a Mascarenhas de Moraes, estão urgentemente precisando de recapeamento completo. Além disso, há vários bairros que não têm o asfalto por completo nas suas ruas, atrasando o desenvolvimento urbano e afetando o dia a dia dos moradores, que precisam lidar com a poeira, a lama e a dificuldade de locomoção.

Certamente você já deve ter lido em algum jornal ou por meio das redes sociais os movimentos de pré-campanha com os eventuais postulantes se apresentando e até mesmo fazendo críticas a administração pública atual, prometendo resolver tudo em apenas quatro anos de mandato. Procure ver se nessas falas, além de apontaram o dedo para o que está errado hoje na cidade, eles também mostram como irão fazer para solucionar. A Campo Grande que queremos precisa de gestão com experiência e não mais de aventureiros.

Fale com a Redação