Fotos: Chico Ribeiro

O governador Reinaldo Azambuja se reuniu nesta quarta-feira (19) com a embaixadora da Venezuela, Maria Teresa Belandria, que veio a Mato Grosso do Sul pedir apoio em relação a regularização de venezuelanos que entraram de forma ilegal no Estado. Outra preocupação é em relação a segurança pública e a troca de informações entre as autoridades.

Para tratar do tema, o governador pediu ao secretário de Segurança e Justiça, Antônio Carlos Videira, que entre em contato com os secretários de Roraima e Amazonas, além do ministro da Justiça, Anderson Torres, para que haja uma ação em conjunto e uma tratativa coordenada em âmbito nacional.

“Compartilhamos desta preocupação, e entendemos que precisa de uma ação nacional, para que estes refugiados tenham acesso a documentação, estando legal no País. Sabemos da situação da Venezuela e somos a favor de eleições democráticas”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja.

Antônio Carlos Videira ressaltou que entrada ilegal de venezuelanos no Brasil e em Mato Grosso do Sul é uma preocupação de vários secretários, já que estas pessoas ficam vulneráveis ao crime organizado, com impacto direto na segurança pública com os estados fronteiriços.

“Mato Grosso do Sul é um estado de fronteira com o Paraguai e Bolívia e recebeu grande grupo de forma ilegal, por isso é importante este contato com os secretários de outros estados e governo federal, para que haja um controle destas pessoas, mas é uma pauta nacional”, descreveu o secretário.

A embaixadora ressaltou que já visitou 15 estados para tratar do tema e que estes refugiados que entram de forma ilegal, sem documento, podem estar sujeitos a facções criminosas e até trabalho escravo. “Eles estão nas ruas sem documento. Cerca de 90% são de famílias”.

Ela faz parte do governo interino de Juan Guaidó, que já foi reconhecido por 60 países, incluindo o Brasil. “Esta situação ocorre devido a crise política que ocorre na Venezuela. Muitos estão em busca de novas oportunidades, outros são refugiados políticos”.

Governo propõe diálogo com outros estados para tratar sobre refugiados da Venezuela
Reunião do governador com a embaixadora da Venezuela (Foto: Chico Ribeiro)

Encaminhamento

A titular da Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho), Elisa Cleia Nobre, explicou que o governo do Estado ajuda os refugiados e migrantes, por meio do Cadh (Centro de Atendimento em Direitos Humanos), com encaminhamento para o Cras (Centro de Referência de Assistência Social), Polícia Federal ou qualquer serviço emergencial que necessitem.

“O atendimento é feito para qualquer migrante que nos procurar. No caso da regularização de documentos, fazemos a mediação junto a Polícia Federal, inclusive temos intérpretes para ajudar o migrante, que muitas vezes tem dificuldades por causa da língua”, disse a secretária.

Participaram da reunião com o governador e a embaixadora, o secretário de Segurança e Justiça, Antônio Carlos Videira, a titular da Sedhast, Elisa Cleia Nobre, o titular da Semagro, Jaime Verruck e o deputado federal, Luiz Ovando. 

Leonardo Rocha, Subcom

Comentários