Divulgação/PCMS

Um homem de 37 anos conseguiu escapar do tribunal do crime de uma facção criminosa na noite de sábado (18), em Campo Grande após ser sequestrado. A vítima arrombou com chutes o porta-malas do veículo e se jogou, evitando ser executado por criminosos.

A vítima foi socorrida, passou a noite internada e assim que recebeu alta foi a delegacia denunciar o crime. No registro policial, ela contou que caminhava Rua Geórgia, região do Parque Residencial Azaleia, quando foi abordado por cinco pessoas que estavam em três carros, dentre os quais um Monza, um Celta e um Corsa. O grupo o cobriu com capuz e, sob ameaça de arma de fogo, o colocou no porta-malas do Monza.

Sob mira de uma arma, foi avisado que seria levado para julgamento pelo Tribunal do Crime da facção criminosa, Primeiro Comando da Capital (PCC).

Ainda de acordo com boletim de ocorrência, antes de ser colocado no veículo, foi agredido com socos, chutes e coronhadas, além de terem dado seis disparos de arma de fogo, dos quais dois ao lado da orelha da vítima, como forma de intimidação.

Durante o trajeto, ouviu que seria levado para o Jardim Noroeste e lá executado, mas antes de chegar ao destino, conseguiu abrir a porta do porta-malas com chutes e pulou do carro em movimento, conseguindo escapar.

Ele pediu ajuda na casa de uma testemunha que acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que levou para a Santa Casa de Campo Grande.

O homem ainda contou que usa tornozeleira eletrônica e o carregador dela, o celular e todos os documentos ficaram dentro do carro dos sequestradores.

O caso foi registrado como sequestro e cárcere privado e lesão corporal na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Centro.

Comentários