imagem ilustrativa

Um idoso de 70 anos era acusado de cometer estupro contra dois adolescentes de 14 e 15 anos, sendo que um deles era deficiente mental. O fato é que o homem morreu antes de ser julgado, nesta quarta-feira (25), no município de Paranaíba.

Os casos de abuso foram descobertos no ano passado (2019). No entanto, a denúncia só foi formalizada em outubro deste ano (2020).

De acordo com o Ministério Público de Mato Grosso do Sul, uma denúncia anônima foi feita no dia 28 de outubro de 2020, alegando que ocorrem abusos sexuais contra um adolescente de 15 anos, deficiente mental, nos meses de janeiro a setembro de 2019, em uma fazenda do município, administrada pelo idoso.

A família do adolescente morava de favor em uma casa na propriedade. E o idoso se aproveitava da situação para pedir que o garoto fosse até a sede da fazenda para fazer limpezas e então acontecia os abusos.

Durante a investigação, o MPMS também descobriu outra vítima de estupro,  um adolescente de 14 anos. Cujo pais alcoólatras, permitiam a ida do garoto com o idoso a fazenda, em troca de bebidas. Mesmo sabendo o que ocorria, não tomaram qualquer atitude.

A juíza Nária Cassiana Barros afirmou em seu despacho que “consta a extinção de punibilidade contra o réu, depois da anexação do atestado de óbito. A morte aconteceu no dia 6 de novembro, por choque séptico, decorrente de infecção de origem indeterminada”.

A denúncia ainda foi mantida contra os pais do adolescente de 14 anos, que respondem ao processo em liberdade. Uma nova audiência deve ocorrer no próximo ano, onde as testemunhas do caso são ouvidas, como parte do trâmite que levará até a sentença dos acusados.

Comentários