Nessa fase da vida, a doença torna-se muito mais agressiva

04/04/2020 17h20
Por: Da redação com informações da assessoria

A prevenção contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, que se expande rapidamente em todo o mundo depende de todo cidadão para ser evitada. No entanto, é preciso um cuidado especial com os idosos, já que, geralmente, a doença atinge o grupo com mais gravidade.

De acordo com especialistas, isso ocorre porque o sistema imunológico dessas pessoas sofre alterações ao longo da vida, além de muitos serem portadores de doenças crônicas, como hipertensão, diabetes e asma, tornando seu organismo mais frágil para reagir a infecções.

Por isso, algumas orientações são de extrema importância para resguardar os idosos nesse período de pandemia.

Vacina

Embora a vacina contra a influenza não impeça o contágio do novo coronavírus, ela é essencial para mantê-los longe da gripe, o que seria um fator de agravamento para pessoas já vulneráveis.

Dentro de casa – Se possível, manter-se um pouco mais afastado dos demais moradores da residência, por pelo menos 1,5 metro e, se o contato físico for realmente indispensável, lavar bem as mãos com água e sabão ou utilizar o álcool gel para higienizá-las. Isso vale tanto para familiares que residem na mesma casa quanto para cuidadores dos idosos.

Doenças de base – Fazer o uso correto das medicações prescritas pelo médico assistente, verificar se está fazendo o efeito desejado, manter a doença controlada também é muito importante.

Ligações – Para não deixar os idosos sem nenhum contato com familiares e amigos, as visitas podem ser substituídas por ligações telefônicas, assim eles se sentirão cuidados e poderão matar um pouco a saudade gerada pelo isolamento social.

Além dessas dicas, manter o ambiente ventilado, as mãos sempre higienizadas, uma alimentação saudável e, se possível, fazer alguma atividade física, como alongamento, são essenciais.

Para resguardar os beneficiários da terceira idade, a Unimed Campo Grande suspendeu temporariamente as atividades do Grupo de Atenção ao Idoso, que abrange várias oficinas voltadas para este público e que promove encontros semanais.

Integrante do grupo, o senhor Luiz Hiroshi Deai (64 anos), que faz parte do Programa Viver Bem da cooperativa, participando das oficinas Fortalecimento Muscular e Ativamente, diz estar se adaptando depois que a Covid-19 chegou ao Mato Grosso do Sul. “A gente precisa de adaptar. Estou fazendo minhas atividades em casa porque aqui a gente se sente mais seguro e a Unimed fez certinho em parar por enquanto com as atividades na sede, porque nós somos do grupo de risco e temos que nos cuidar, fazendo o isolamento social”, falou.

Vale lembrar que apesar dos idosos fazerem parte do grupo de maior risco da Covid-19, os mais jovens não estão imunes, portanto, é de extrema importância seguir as orientações do Ministérios da Saúde e das secretarias de saúde para prevenir o contágio da doença.

Divulgação

Comentários