Os índices de criminalidade em Mato Grosso do Sul, como roubos e furtos, continuam em queda durante o período de isolamento social por conta da pandemia do coronavírus. As medidas rigorosas de combate ao novo vírus adotadas pelo Governo do Estado, a partir de 9 de março, e a pronta ação policial, tem sido determinantes para redução dos crimes, tanto na Capital como no interior.

Levantamentos apresentados pela Superintendência de Inteligência de Segurança Pública (SISP) e pela Coordenadoria de Fiscalização e Controle, da Sejusp (secretaria estadual de Justiça e Segurança Pública), apontam que o número de furtos no Estado caiu 28,37%, entre março e junho, e no mesmo período, houve queda de roubos em 41, 24%. A violência doméstica também teve acentuada redução – 16,19%.

Para o governador Reinaldo Azambuja, a estatística demonstra a eficiência das medidas de enfrentamento ao novo coronavírus, adotadas pelo Estado com a adesão dos municípios, e a atuação exemplar das forças policiais na defesa da sociedade. “Temos uma das melhores policias do Brasil e os resultados apresentados durante a pandemia falam por todos nós, onde alguns números são expressivos e nos dão segurança”, disse o governador.

Investimentos em segurança

Reinaldo Azambuja também citou a decisão do Estado de pedir ao governo federal, ainda no início da crise de saúde pública (março), o fechamento das fronteiras de Mato Grosso do Sul com os países vizinhos – Paraguai e Bolívia. “São ações que deram eficácia ao controle da pandemia e redução da criminalidade, amparadas pelos investimentos do governo em segurança, aplicando mais de R$ 130 milhões no aparelhamento policial em cinco anos”, disse.

Conforme os números divulgados pela Sejusp, o número de furtos no Estado caiu de 11.171 para 8.002, no comparativo entre 9 de março a 28 de junho de 2019 e o mesmo período de 2020. Os roubos tiveram uma redução, de 2.381 para 1.399, enquanto as ocorrências de violência doméstica, de 5.745 para 4.815, no mesmo período.

Índices de roubos e furtos em MS continuam em queda durante isolamento social

Os índices de homicídio doloso (intenção de matar) se mantiveram (-0,79%), enquanto em Campo Grande teve um aumento de 137%. A Capital apresentou queda nas ocorrências de furtos (-26%) e roubos (-30,69%), enquanto no interior o comparativo em relação ao mesmo período de 2019 foi de, respectivamente, -30,12% e -49,95%. A violência doméstica também teve queda: -16,85%, em Campo Grande, e -15,84%, no interior.

Já as infrações às medidas sanitárias preventivas adotadas pelo Estado e Municípios, como não cumprimento do toque de recolher e proibição de eventos com aglomeração de pessoas, tiveram um saldo de 47.200%, entre março e junho deste ano. A maioria das ocorrências foram registradas no interior do Estado – 44.200% -, enquanto na Capital, 100%.

Ação policial mais integrada

Para o titular da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Campo Grande, delegado Reginaldo Salomão, a redução nos crimes de furto e roubo, incluindo latrocínio, já vinha apresentando redução nos indicadores desde 2018, e no período em que se instalou a pandemia em razão do Covid-19, os números se mostraram ainda mais acentuados, registrando queda expressiva.Índices de roubos e furtos em MS continuam em queda durante isolamento social

Índices de roubos e furtos em MS continuam em queda durante isolamento social
Ações de prevenção e repressão das forças policiais

Ao comentar os índices apresentados, o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Antônio Carlos Videira, ressaltou que a redução de crimes como roubos e furtos está diretamente relacionada às ações de prevenção e repressão das forças policiais, associadas às medidas de isolamento social. Disse que, ocupadas permanentemente, as residências passaram a ter um maior potencial de fiscalização, inibindo a ação dos bandidos.

“Com as pessoas se resguardando em casa, as forças policiais puderam otimizar suas ações na prevenção e combate a outros crimes, atuando e se empenhando também no combate ao vírus”, disse o secretário. Ele citou ainda o foco no trabalho de inteligência, aumento do policiamento preventivo e ostensivo nas principais vias e, sobretudo, os investimentos do Governo do Estado na capacitação, integração e reaparelhamento da polícia.

Comentários