Indígenas em concentração na Praça do Rádio. (Foto: Kísie Ainoã/Campo GrandeNews/Reprodução)

Um grupo de indígenas fez um protesto nesta quinta-feira (23) na Praça do Rádio, no centro de Campo Grande, de onde caminharam até a ede da Funaí. A ação faz parte de um movimento nacional chamado ‘Luta Pela Vida’ e que está sendo realizada simultaneamente em todas as capitais. Eles pedem o fim do Marco Temporal, além da saída imediata do presidente da Funai, Marcelo Augusto Xavier da Silva.

Os indígenas também cobram justiça pela morte do indigenista brasileiro Bruno Araújo Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips, que foram brutalmente assassinados por pescadores no Amazonas durante um trabalho jornalístico. Os dois foram mortos a tiros e depois tiveram seus corpos esquartejados e queimados, sendo desovados em valas no meio da floresta.

Pelo menos 30 indígenas participaram do protesto na Praça do Rádio, entre militantes, estudantes e servidores da Funai. Algumas pessoas vieram de outras cidades apenas para aderir ao movimento. O manifestantes defendem a nomeação de um indígena para a chefia da Fundação Nacional do Índio (Funaí), que atualmente é ocupado por um delegado da Polícia Federal.

Durante a concentração do grupo foram feitas danças típicas da etnia terena, como a ‘Kipaé’. Ainda segundo os organizadores, o protesto tem como objetivo chamar a atenção para o desmonte do Governo Federal em todo o setor de Meio Ambiente e proteção aos direitos indígenas e direitos humanos.

Comentários