Arma usada no crime (Foto: PC/MS)

Foi o próprio irmão quem matou a gestante Angel Luama Pinto de Oliveira, de 28 anos, em um crime ocorrido na segunda-feira (23) em Caarapó. Nesta quarta (25), a polícia atualizou a investigação do caso e confirmou que o irmão a matou com um tiro na cabeça durante uma discussão, após passarem a noite bebendo cerveja em um bar.

No dia em que o crime aconteceu, um familiar dos irmãos chegou a dizer para a polícia que a  gestante havia morrido no lugar do irmão ao protegê-lo do disparo. Mas a Polícia Civil descobriu que o irmão, que não teve o nome divulgado, discutiu com ela e sacou um revólver que portava na cintura e efetuou um disparo contra a cabeça da vítima.

Após o fato, ele fugiu do local antes da chegada dos socorristas e da Polícia Militar. Depois de passado o período de flagrante, o irmão foi até a delegacia e disse que uma outra pessoa atirou na irmã. Mas após o interrogatório, ele confessou que apontou a arma na direção da cabeça e apertou o gatilho, alegando que acreditava que a arma estava sem munição.

A polícia conseguiu localizar a arma e o homem teve a prisão preventiva decretada pelo delegado que acompanha o caso, Silvio Ramos Pereira. Ele foi preso na tarde desta quarta-feira (25) e encaminhado ao presídio da cidade.

O caso

Angel Luama Pinto de Oliveira, 28 anos, foi executada na madrugada de segunda-feira (23), em Caarapó. Conforme a polícia, ela foi atingida com um tiro na cabeça, chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros, mas veio a óbito no hospital.

Conforme uma familiar da vítima, ela estava grávida de seis meses e o bebê também morreu. “Tentaram salvar a criança, mas não teve jeito. Morreu também”, lamentou uma familiar da vítima.

De acordo com o registro policial, a vítima foi atingida por disparo de arma de fogo na cabeça, por volta de zero hora. Ela foi levada até o Hospital São Matheus pelo Corpo de Bombeiros, porém não resistiu aos ferimentos e morreu momentos depois.

Comentários