29.8 C
Campo Grande
sexta-feira, 23 de fevereiro, 2024
spot_img

Javier Milei começa o governo com amplo apoio dos jovens argentinos

Parcela da população do país com idade em torno dos 20 anos se mostra otimista com as propostas de reforma econômica

O ultraliberal Javier Milei assume a Presidência da Argentina no domingo (10) para um mandato de quatro anos. O economista, com apenas dois anos de atuação na política, teve mais de 14 milhões de votos e derrotou com ampla vantagem o ministro da Economia, Sergio Massa.

Seu perfil provocador e suas propostas radicais para tirar o país da crise conquistaram o eleitorado. Os jovens argentinos são a maior parcela da população que apoia o novo presidente e apostam nas promessas de um país com uma economia mais robusta.

Milei prometeu, durante a campanha, diminuir a inflação, reduzir os gastos públicos e o déficit fiscal, eliminar impostos e reformar o mercado de trabalho.

De acordo com uma pesquisa da empresa de consultoria Reale Dallatorre, realizada entre 22 e 27 de novembro, 76% dos jovens de 16 a 25 anos têm uma imagem positiva de Milei, e 78,1% confiam que ele vai se sair bem no governo que começa no próximo domingo (10).

“Foi um alívio que [Javier] Milei ganhou, confio nele”, diz Samir Santa Cruz, de 21 anos, que trabalha como entregador de aplicativos de comida.

Samir conta com a melhora da economia para deixar de rodar pelas ruas da capital, Buenos Aires. “Quando Milei colocar a economia de volta nos trilhos, já tenho muitos negócios em mente. Tenho uma mente empreendedora”, diz o jovem.

Luna Block, de 20 anos, trabalha no quiosque de sua família em um terminal rodoviário, no bairro de Retiro, em Buenos Aires. Ela também é professora de educação física em uma academia e afirma que Milei “dá boas expectativas”.

“Minha situação econômica não é ruim, mas também não é a melhor. Espero que comece a trabalhar em suas propostas assim que tomar posse”, diz Luna.

“Se Milei cumprir 50% do que disse, já vamos estar mudando muito o nosso futuro”, afirma Franco Propato, de 23 anos, que trabalha em uma pequena loja de motos.

A Argentina enfrenta uma inflação anual acima de 140% e uma pobreza que ultrapassa 40% da população do país.

Segundo Pablo Vommaro, coordenador do Grupo de Estudos de Políticas e Juventude da Universidade de Buenos Aires, 13% da população jovem está desempregada, e 20%, subempregada, números que quase duplicam a média geral.

As ideias de abertura econômica de Milei são, em geral, bem recebidas pelos jovens. Mas sua proposta de privatizar a petrolífera YPF é aceita apenas por 37%, de acordo com a pesquisa da RDT. Quanto à proposta de referendo para revogar a lei do aborto, 40,5% rejeitam, 32,6% concordam e 26,9% não sabem opinar.

Vommaro explica que “Milei foi o único candidato com um discurso de futuro, esperançoso. Essa é uma das razões pelas quais ele era tão popular entre os jovens”.

Fonte: R7

Fale com a Redação