Divulgação

A gestação reúne um misto de sentimentos, dúvidas e a alteração hormonal contribui também para isso. Mas, calma! Para ajudar as gestantes em meio à pandemia, a Clínica Nascitá em Campo Grande está promovendo uma série de lives com temas diversos, para esclarecer as dúvidas e também acolher as mulheres neste momento tão especial e ao mesmo tempo desafiador. Para assistir basta seguir @ClinicaNascita.

“Com a pandemia me distanciei muito das gestantes da clínica, dos cursos e das rodas de conversa que participo. Então surgiu a necessidade das lives devido a grande demanda de perguntas. Muitas gestantes sentem a falta dessa informações” explica uma das proprietárias da clínica, a obstetra Rúbia Borges Loureiro.

Durante a live, as gestantes podem interagir enviando suas dúvidas.”Nas lives conseguimos transmitir informações e acalentar as gestantes de todo o mundo ao mesmo tempo em que evitamos o contato físico. Elas participam bastante, mesmo as que tem vergonha de aparecer ao vivo, mas que enviam suas perguntas no chat. Muitas gestantes não tem condições de passar por uma consulta. E por meio das lives elas podem ter acesso à informação”, conta Rúbia.

Esse é mais um recurso para que as gestantes saibam que não estão sozinhas. “Está todo mundo tão carente de contato e de carinho. Mas, além disso a informação é importante para que a gente possa fazer nossas escolhas de maneira consciente. O parto sem dúvidas é o momento mais importante da vida de uma mulher. E a recepção de um recém-nascido tem resultados para o resto da vida”, afirma a médica.

E neste sábado (1º), a live começará às 11h (horário de Brasília), pelo instagram @ClinicaNascita, com o tema “Amamentação: ao infinito e além” apresentado pela odontopediatra Camila Bicharelli.

Para a odontopediatra falar o quanto antes sobre a amamentação é de suma importância para que as gestantes tenham a informação necessária, e assim possam amamentar de maneira eficiente, sem neuras ou mitos. Não precisando recorrer as fórmulas sem necessidade.

“Tenho percebido nas rodas de conversa e no consultório, que as mães tem deixado de amamentar por falta de informação básica durante a gestação. Por exemplo, o colostro nutre o bebê naquele espaço de tempo da descida do leite materno. E por isso, o bebê não passa fome. Outra questão importante é o freno lingual, que muitas vezes impede que a mãe consiga amamentar de modo eficiente. Então, são várias etapas que devem ser passadas para a gestante, para que ela saiba como é este processo tão importante para a futura mãe e seu bebê”, finaliza Camila.

Comentários