Agente de Saúde do município de Corumbá, a 417 km de Campo Grande, inventou um jogo de perguntas e respostas para estuprar menina de 12 anos. O caso é considerado estupro de vulnerável por ser com menor de 14 anos, mas o homem, que ainda seria ‘amigo da família’, abusou sexualmente sem uma consumação do ato carnal. A denúncia da mãe veio após a mesma flagrar o homem, de 35 anos, que aplicando um tal jogo para que a menina tirasse a blusa quando ela errava as questões feitas por ele.

O mundo deste abusos pervertidos ou sexual está até nos ditos ‘amigos de família’ e para piorar em um funcionários público que atende a área de saúde, que entra na casa dos cidadãos. O homem “brincava de perguntas e respostas” com menina de 12 anos para cometer abusos contra a adolescente .

A mãe registrou a denuncia relatando que foi observar e viu que ainda o rapaz foi se tornando mais ousado. “Ele tentou apalpar as pernas e bunda da vítima, mas fui impedir”, declarou a mãe. Ela conta que o então abusos foram descobertos quando flagrou o homem passando a mão nos seios da garota na casa dele, pois a garota mora com ele e não com ela mãe em si.

A mãe relata em processo, que menina morava com o homem, que seria amigo da família, porque o pai vive em Porto Morrinho, em comunidade ribeirinha da região. Após o flagrante, o pai levou a filha embora e ela acabou revelando que situações como a que a mãe presenciou eram frequentes.

Na Justiça

A primeira audiência de instrução e julgamento do caso foi marcada para junho, conforme publicado no Diário Oficial da Justiça desta quarta-feira (28).

Contudo, a defesa do agente de saúde já tentou absolvição na Justiça, mas teve pedido negado. Ele responde pelo crime de estupro de vulnerável.

Comentários