Manifestantes pedem a abertura do comércio e o uso de cloroquina no tratamento da Covid-19 | Foto: Twitter Eduardo Bolsonaro / Reprodução / CP

Grupo criticou fechamento dos comércios, como forma de combate à pandemia, e não apoio ao uso da cloroquina no tratamento contra a covid-19

Um grupo de manifestantes se aglomera neste domingo (19) em frente ao Congresso Nacional, em apoio ao presidente Jair Bolsonaro e contra os governadores. A Polícia Militar não tem divulgado levantamento sobre a quantidade de manifestantes em atos que acontecem em Brasília.

O grupo, marcado pela presença de religiosos, critica os governos estaduais pelas quarentenas, fechamento dos comércios e não apoio ao uso da cloroquina no tratamento contra a covid-19, como defende Bolsonaro desde o início da pandemia. Eles carregam cruzes, para simbolizar cada um dos Estados do País e o Distrito Federal.

Muitos manifestantes ignoram a recomendação básica de uso de máscaras, como orienta o Ministério da Saúde. Diferentemente do que se viu em atos anteriores realizados em Brasília, a aglomeração não é marcada por protestos pelo fechamento do STF (Supremo Tribunal Federal) ou do Congresso.

No Twitter, o deputado Eduardo Bolsonaro (Republicanos-SP) escreveu que ocorre, na Esplanada dos Ministérios, uma “concentração para manifestação popular, sem pão com mortadela”.

Bolsonaro, que está com covid-19 e permanece no Palácio da Alvorada, disse ontem que não poderia comparecer ao ato, para “não dar mau exemplo”. O presidente voltou a dizer que os Estados são responsáveis pela crise, porque estão “deixando a economia se esfacelar”.

O presidente também voltou a criticar a resistência dos Estados sobre o uso da cloroquina, apesar de os estudos médicos realizados até agora não demonstrarem benefício no uso da substância, mas sim efeitos colaterais para seus usuários.

Fonte: R7

Comentários