Nos seis primeiros meses deste ano, Mato Grosso do Sul exportou US$ 2,077 milhões em tilápias congeladas e filés de tilápia. (Foto/Divulgação)

Nos seis primeiros meses deste ano, Mato Grosso do Sul exportou US$ 2,077 milhões em tilápias congeladas e filés de tilápia (frescos, congelados e refrigerados), segundo números do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Este valor foi responsável por 36,74% da receita total de US$ 5,653 milhões que o país comercializou; assunto do Mercado Agropecuário desta segunda-feira (26).

O principal destino das proteínas produzidas no estado foram os Estados Unidos que respondeu por aproximadamente 90% do faturamento, seguido pelo Canadá com 10%. Pará e Paraná são, respectivamente, o segundo e terceiro estados que mais exportaram a proteína no período.

Mato Grosso do Sul se manteve na liderança nacional do ranking dos estados exportadores de tilápia no primeiro semestre de 2021, conforme dados do Informativo da Piscicultura edição de julho. Os produtores locais faturaram US$ 2.214.422 com a venda do peixe ao exterior no semestre, o que representa 37% do total das exportações. O Paraná vem em segundo com US$ 1.966.787, fatia de 32% do mercado.

Apesar dos números expressivos, houve uma queda de 34,79% no volume em comparação com o primeiro semestre de 2020. No ano passado, o estado destinou 486 toneladas do pescado para o mercado externo, frente às 316 toneladas deste ano.

Segundo a analista técnica do Sistema Famasul, Fernanda Oliveira, essa variação foi ocasionada devido ao aquecimento da demanda interna. “Estamos num momento de demanda aquecida, no mercado externo, principalmente. Ao mesmo tempo, durante a Pandemia foi verificado uma maior procura pela carne de peixe no Brasil segundo dados da Peixe BR, tendo em vista a necessidade de se diversificar as fontes de proteínas em casa, sendo a tilápia uma importante opção.”.

Produção

Em junho, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento autorizou a instalação de mais 120 hectares de tanques-rede no lago da usina de Porto Primavera, em Brasilândia, podendo chegar a 500 hectares, para criação de tilápia. A solenidade contou com a presença da ministra Tereza Cristina e do secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

MS lidera ranking de exportações de tilápia no 1º semestre de 2021

Verruck destacou que esta evolução no setor tem relação direta com o programa estadual “Propeixe”, que tem o objetivo de aumentar a produção e exportação do produto no Estado. O programa ainda prevê o apoio à viabilidade de crédito e recursos financeiros ao setor e premiação para aos produtores.

A produção de tilápias em larga escala é uma atividade recente em Mato Grosso do Sul. Dois projetos se destacam: da Tilabras e da Geneseas, ambos estabelecidos na Costa Leste do Estado. Com o aporte dessa área para criação em tanques-rede, a produção de tilápias deve saltar de 19 milhões para 60 milhões de toneladas/ano em um curto período de tempo, devendo ocupar o topo do ranking nacional.

Em 2022, o Estado deverá ter a primeira indústria frigorífica de pescados que irá produzir tilápia enlatada no Brasil. O empreendimento da Frescomares será construído em uma área de 73 hectares no município de Itaporã, com investimento total de R$ 20 milhões e previsão de geração de 120 empregos por turno, sendo que, no auge da produção, a indústria deverá funcionar em 3 turnos.

Comentários