(Foto: Luis Fortes/MEC)

Os interessados poderão se inscrever no Enare a partir desta segunda-feira (20). Prazo vai até 24 de setembro.

Instituições de saúde de todo o país poderão aderir à edição de 2021 do Exame Nacional de Residência (Enare), realizado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). O anúncio foi feito nesta semana, num evento promovido pelo Governo Federal.  

O Ministro de Estado da Educação, Milton Ribeiro, participou do evento e ressaltou a importância do Enare tanto para a educação quanto para a saúde no Brasil. “Eu e o Marcelo Queiroga assinamos, hoje, uma portaria interministerial que dispõe sobre a estrutura, organização e o funcionamento da Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Isso vai possibilitar a retomada das atividades da Comissão (…)”, complementou Ribeiro.

O Enare foi criado pelo Ministério da Educação (MEC) com o objetivo de otimizar a forma de selecionar os residentes em saúde, oferecendo benefícios para as instituições e para os próprios candidatos. Com a expansão do Exame, passa a ser possível oferecer um quantitativo maior de vagas de residências das áreas médica, multi e uniprofissional, devido à adesão de outras instituições públicas ao Programa.

Entre está segunda-feira (20) e quinta-feira (24), a Ebserh disponibilizará uma plataforma para que as instituições interessadas possam realizar seu cadastro. O Ministério da Saúde (MS) também se mostrou favorável à adesão. Mais  de 150 instituições vinculadas à Pasta poderão participar do Enare este ano.

O sistema de classificação do Enare assemelha-se ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), em que o candidato utiliza a nota alcançada no Exame para concorrer à modalidade em que deseja atuar. O sistema fica aberto por um tempo determinado para que cada candidato registre o local de sua preferência. As melhores notas se sobrepõem às menores, determinando, ao fechar, quem ocupará as vagas. Em seguida, ele é disponibilizado novamente para preencher as vagas ociosas e formação de cadastro reserva.

A primeira edição do Exame contou com mais de 4 mil inscritos, que disputaram por 304 vagas distribuídas entre residência médica, residência uniprofissional e residência multiprofissional.

Comentários