Reunião realizada nesta terça-feira na prefeitura da Capital. (Fto/Diulgação)

Na manhã desta terça-feira (30), o prefeito de Campo Grande Marquinhos Trad esteve reunido com técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) para discutir medidas a serem implementadas para conter um possível aumento no número de casos e a circulação de novas variantes da Covid-19 no Município.

A reunião foi convocada diante do alerta feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS) quanto à circulação da variante B.1.1.529 do coronavírus, conhecida por ômicron, que foi identificada na África do Sul, e já teve casos relatados na Ásia, Europa, Oceania e América do Norte.

Uma das medidas anunciadas pelo prefeito é a criação de um plano estratégico de contenção prevendo a realização de barreiras sanitárias no Aeroporto Internacional de Campo Grande e no Terminal Rodoviário. A data para início da operação ainda será estabelecida.

“Iremos colocar equipes nestes locais para realizar a triagem e testagem dos passageiros que estiveram em países onde há casos notificados desta nova variante. Precisamos agir para evitar que a gente venha a ter uma nova onda da doença em nossa cidade”, disse Marquinhos.

O prefeito destaca ainda que as chamadas medidas não farmacológicas, como uso obrigatório de máscara, distanciamento social e higienização adequada de mãos, devem continuar sendo aderidas por toda a população.

“Neste momento em que o mundo está em alerta sobre a possibilidade de termos um aumento no número de casos, devemos reforçar a necessidade dos cuidados preventivos. A máscara, por exemplo, é um dos métodos mais eficazes e baratos para se evitar esta doença. Portanto, reiteramos a necessidade de se manter o uso do equipamento de proteção individual”, lembra.

Marquinhos reiterou que o Município não realizará festas de Réveillon e de Carnaval. Clubes, agremiações e empresas de promoção de eventos deverão seguir todas as medidas de biossegurança recomendadas.

“Isso se faz necessário diante do risco de termos uma nova onda de infecção. Portanto, neste momento, não é prudente promovermos tais festividades”, pondera o chefe do Executivo Municipal.

Variante Ômicron

A variante B.1.1.529 do coronavírus, conhecida por Ômicron foi identificada em 23 de novembro, na África do Sul, sendo emitido o alerta internacional dois dias depois.  É considerada altamente perigosa por estar associada à infecciosidade elevada e à capacidade de evitar anticorpos bloqueadores de infecção.

Em Joanesburgo, esta variante foi identificada após o aumento de casos principalmente nas escolas e entre jovens, mudando o perfil das pessoas infectadas, que inicialmente eram, em sua maioria, idosos e pessoas já com a saúde fragilizada.

No Brasil não foi identificado nenhum caso da variante ômicron, contudo todos os imigrantes vindos da África do Sul precisam ser observados por pelo menos 14 dias.

Vacinação

Desde o dia 19 de janeiro, início da vacinação emergencial contra a Covid-19, cerca de 660 mil pessoas foram vacinadas com a primeira dose, o equivalente a 72,91% de toda a população campo-grandense, estimada em 906 mil, conforme dados parciais do “Vacinômetro”. Destas, 615 mil pessoas tomaram as duas doses ou dose única e estão completamente imunizados, o que representa uma cobertura de 67.93%. Até o momento, 152,4 mil pessoas foram vacinadas com a dose de reforço (terceira dose) na Capital. Aproximadamente 1,4 milhão de doses de vacinas contra a doença já foram aplicadas no Município.

Em atraso

Estima-se que aproximadamente 35,3 mil pessoas acima de 12 anos ainda não tomaram sequer a primeira dose da vacina contra a Covid-19 na Capital. Outras 60,8 mil estão com a segunda dose em atraso e 24,2 mil já poderiam ter tomado à dose de reforço.

Apesar de, proporcionalmente, o número de pessoas não vacinadas ou que estão com a dose em atraso ser baixo, o prefeito faz um apelo à população.

“Essa situação nos preocupa, porque a redução no número de casos, internações e óbitos provocados pela doença em nosso Município, mostram o quanto à vacina é eficaz. Por isso reforçamos a importância daqueles que ainda não tomaram a vacina ou estão com a segunda ou terceira dose em atraso, que compareça a um ponto de imunização e regularize sua situação vacinal”, concluí.

O prefeito lembra que o Município mantém mais de 40 locais de vacinação abertos, incluindo dois drives, e ainda realiza ações itinerantes a fim de facilitar o acesso à população.

Comentários