(Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Economistas ouvidos pelo Banco Central mudam previsão de 8,51% para 8,59% no IPCA, muito acima da meta de 3,75%

Os economistas do mercado financeiro ouvidos pelo Banco Central apostam em inflação e dólares ainda mais altos no final de 2021.

No boletim Focus divulgado nesta segunda-feira (11), os analistas projetam que a inflação, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, do IBGE) termina o ano em 8,59%. A previsão anterior, da semana passada, era de 8,51% e há um mês estava em 8,00%.

O centro da meta para o ano é de 3,75%, e a margem de tolerância é de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%).

Também subiu a projeção para o índice em 2022 foi de 4,14% para 4,17%. Quatro semanas atrás, estava em 4,03%.

Na sexta-feira (8), o IBGE divulgou o IPCA de setembro, que ficou em 1,16%, maior índice para o mês desde 1994, quando ficou em 1,53%.

Câmbio

A expectativa de números ruins na economia nacional também se extende para o dólar.

O Focus mostra uma previsão ainda mais pessimista para a moeda americana no fim de dezembro. A projeção anterior era de R$ 5,20 e saltou para R$ 5,25.

Para 2022, a estimativa para o câmbio foi mantida em R$ 5,25. Era R$ 5,20 há quatro semanas.

Fonte; R7

Comentários