Breno Silveira no set da série 'Dom' — Foto: Divulgação

Morreu na manhã deste sábado (14) o cineasta Breno Silveira, de 58 anos. Ele estava filmando em Limoeiro, no interior de Pernambuco, quando teve um mal súbito e não resistiu. A informação foi confirmada pela Conspiração Filmes, produtora da qual Breno era sócio.

O cineasta se formou pela École Louis Lumière, de Paris, e teve sua primeira experiência como diretor de fotografia no longa “Carlota Joaquina: Princesa do Brasil”, em 1995.

Em 2000, foi diretor de fotografia do filme “Eu Tu Eles”, filme que chegou a ser selecionado para participar da mostra Um Certo Olhar, do Festival de Cannes.

Estreia como diretor em ‘Dois filhos de Francisco’

Em 2005, teve sua estreia como diretor de cinema em “Dois Filhos de Francisco”, o filme mais visto daquele ano com mais de 5 milhões de espectadores. O longa chegou a obter o posto de maior sucesso do cinema nacional desde a chamada retomada do setor, batendo ”Carandiru”, de Hector Babenco.

A história da dupla de sucesso Zezé Di Camargo e Luciano recebeu mais dez indicações ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, inclusive na categoria de melhor filme. Levou a melhor em quatro categorias.

Outras produções famosas de Breno Silveira são “Gonzaga: de pai para filho” (2012) e “Era uma vez” (2008).

No ano passado, Silveira estreou  “Dom”, uma série de ficção inspirada nas invasões de prédios feitas por uma gangue liderada pelo “bandido gato”, no Rio de Janeiro. Pedro Machado Lomba Neto, o Pedro Dom, era um jovem de classe média e dependente químico que acabou indo para o crime.

Na época, ele afirmou ao portal G1  que a ideia da série surgiu depois que o pai de Dom o procurou pedindo que alguém contasse a história do filho por uma outra ótica diferente das páginas de polícia dos jornais da época.

“Comecei a escutar aquele cara ainda muito transtornado com tudo. A princípio, me pareceu uma história muito pesada para contar, mas percebi que, no fundo, tinha uma história de pai e filho ali. Tinha uma outra camada que não era só o que ele me contava”, afirmou Silveira, na época.

Fonte: Portal G1

Comentários