Imagem do local do acidente em foto anexa ao processo.

A família de Adeir Pereira Machado, morto em acidente de trânsito no bairro Aero Rancho em Campo Grande, obteve ganho na Justiça contra o motorista de uma picape GM Montana envolvida no acidente fatal na região do maior bairro da Capital. O motorista, que não teve nome liberado, foi condenado e deve pagar R$ 300 mil entre indenização e um salário mensal por 13 anos à família da vitima fatal que ficou na ocorrência de quase dois anos e meio atrás. Machado era casado e deixou, além da esposa, filho, netos e uma enteada que dependiam do trabalho dele para sobreviver.

Conforme a sentença, em processo de denúncia oferecida pelo MPE-MS (Ministério Público Estadual), o  valor total é referente a R$ 120 mil em danos morais e mais aproximadamente R$ 156 mil referentes a uma pensão de um salário mínimo por mês que será paga por 13 anos. O proprietário do veículo também foi condenado e vai ajudar no pagamento.

Machado foi vitimado no dia 11 de agosto de 2019, quando seguia de moto pela Rua Arquiteto Vilanova Artigas, e foi atingido pela Montana que seguia pela mesma via no sentido contrário e realizava manobra à esquerda para acessar a Rua Carlos Drumond de Andrade.

Atingido  violentamente, Adeir foi socorrido em estado grave pelo Corpo de Bombeiros e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), sendo encaminhado para a Santa Casa, onde teve a perna esquerda amputada. Ele ficou internado em coma, mas teve complicações no quadro de saúde e morreu no dia 6 de setembro.

Detalhes apurados pelo MPE

Conforme o MPE-MS, o motorista da Montana teria virado de forma brusca, invadindo a pista contrária sem se atentar aos demais veículos presentes na via, assumindo assim o risco de acidente. Ao analisar as provas documentais e testemunhas, o juiz Paulo Afonso de Oliveira, da 2ª Vara Cível de Campo Grande, julgou procedente o pedido para condenar o motorista e, passivamente, o proprietário do veículo, responsável pela guarda do mesmo.

A sentença foi de R$ 120 mil para a família, sendo R$ 20 mil para cada uma das vítimas, bem como pensão de 1 salário mínimo por mês a um familiar de sete anos, até que o mesmo complete 24 anos, com correção monetária. Além disso, terão que pagar as custas processuais e honorários advocatícios no total de 15% da sentença. Cabe recurso.

Comentários