(Foto: Saul Schramm)

O sábado (22) traz os dados do boletim epidemiológico sobre a Covid 19, em Mato Grosso do Sul, com mais 1954 novos casos e 49 novas mortes pelo coronavirus. Os números saíram a pouco, em divulgação diária, por live, realizada pela SES (Secretaria Estadual de Saúde). O MS tem novo recorde, continua ou vai piorando os índices com aumento de 34% nos óbitos em 24 horas. Seis municípios concentram a maiorias dos novos casos, com acima de no mínimo 65 pessoas infectadas. A Covid matou inclusive criança de 5 anos, onde uma menina, residente em Dourados, não apresentava comorbidade.

Conforme dados da SES, Campo Grande registrou 372 casos novos de ontem para hoje, sendo seguida por Dourados com 250 e Ponta Porã com 132. O quarto colocado é Corumbá com 124, seguido por Três Lagoas = 89 e Navirai em 65 casos que deram positivo nas últimas 24 horas.

O total de casos em MS soma 275.215 e deste 6.430 foram a óbitos até hoje ante o inicio da Pandemia em março de 2020. Das mortes, de ontem para hoje em 49, a Capital fica sempre no primeiro lugar e marcou 19 hoje, e na sequência vem Três Lagoas com seis e Dourados com cinco. Ivinhema teve três. Já Água Clara e Cassilandia registraram duas cada. Outros doze municípios marcam uma morte cada.

UTI lotadas – A elevação de casos positivos e graves nesta semana, também volta a agravar a taxa de ocupação de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A cidades ou macro regiões voltam a marcar lotação máxima ou a ultrapassar, como é o caso de Campo Grande com 332 pessoas, perfazendo 101% de pacientes internados e com fila de espera para ir a UTI.

A cidade e região de Corumbá também marca 100% com 24 pacientes. Dourados está quase no limite em 97% com 163 pessoas na UTI…A unica com um pouco mais de folga é Três Lagoas, que tem 87% de ocupação em 60 pacientes no local.

O índice de hospitalização que está alto, conta com 1.159 internados em instituições públicas e privadas.

Perfil – A faixa etária de 30 a 39 anos concentra o maior número de infecções no Estado, 64.245, o que representa 23,3% dos casos. A faixa dos 20 aos 29 anos, com 53.212 casos, o que significa 19,3%.

Comentários