Programa fala sobre pesquisa desenvolvida na UEMS (Foto: Divulgação TV ALEMS)

Mato Grosso do Sul tem na antiga Companhia Matte Laranjeira um importante capítulo de sua história. Foi ela que ajudou a trazer desenvolvimento e a impulsionar a urbanização da fronteira do Estado. No entanto, por razões históricas, veio na década de 1930 a derrocada da empresa e a quase extinção da produção ervateira em MS, mesmo sendo região de incidência natural. Uma pesquisa desenvolvida na UEMS investigou a obtenção de um selo de identificação regional como propulsor da retomada dessa indústria – e esse é o tema da nova edição do “MS em Pesquisa”.

O selo de identificação geográfica é um reconhecimento obtido junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (Inpi), que reconhece a regionalidade dos produtos. Segundo a pesquisadora Helen Cristiane Caetano Ribeiro de Oliveira, a erva-mate atende aos requisitos para a obtenção desse selo, agregando valor a um produto produzido em Ponta Porã – o que poderia incentivar a criação de novos negócios no setor e criar novos públicos consumidores.

São Mateus do Sul, no Paraná, é um município produtor de erva para chimarrão que já possui um selo de identificação geográfica, e foi parâmetro da pesquisa num estudo de caso. A dissertação feita por Helen subsidia a obtenção desse reconhecimento junto ao Inpi, que pode ser feita por uma associação de produtores.

Comentários