29.8 C
Campo Grande
sexta-feira, 23 de fevereiro, 2024
spot_img

“Muito do que eu tenho hoje é graças ao esporte”, diz Assíria da Silva, lutadora de wrestling

Em comemoração ao dia Dia do Atleta Profissional, 10 de fevereiro, a Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer), conta a história de Assíria da Silva, atleta de wrestling que faz parte do nosso programa de incentivo ao esporte o “Bolsa Atleta”, em homenagem a todos os atletas profissionais de Mato Grosso do Sul.

A Sul-Mato-Grossense, Assíria da Silva tem 22 anos e começou no wrestling em 2014 em um projeto social próximo a sua casa. Aos 13 anos, saiu de Campo Grande pela primeira vez para participar dos Jogos Escolares em João Pessoa. Outras competições importantes em sua memória foram o Mundial Gymnaside (Marrocos) e os Jogos Pan-Americanos em Cali (Colômbia), em ambos ficou em 5º lugar. 

O Bolsa Atleta, auxílio financeiro do Governo do Estado, permitiu que ela continuasse no esporte mesmo em uma idade em que teria que começar a trabalhar para ajudar sua família. O wrestling, mais conhecido como luta olímpica, consiste em duas categorias: greco-romana e estilo livre. A presença feminina se enquadra na última. Os irmãos de Assíria, Paulo André e Pedro Samuel também são medalhistas reconhecidos no estado.

"Muito do que eu tenho hoje é graças ao esporte", diz Assíria da Silva, lutadora de wrestling

No final de 2021, a atleta rompeu o ligamento cruzado anterior e teve que passar por uma cirurgia no joelho, além de alguns meses de fisioterapia. Voltou a competir em 2023, estreando na categoria Sênior (53kg), no Campeonato Brasileiro Interclubes. “Eu estava com muito medo, muito ansiosa e com bastante dúvidas se eu conseguiria realmente voltar a ser o que era antes”, frisa a atleta.

“É talentosa, sempre teve talento para a luta, sempre foi muito esforçada. Só não atingiu ainda o seu ápice como atleta porque sempre lhe faltou um pouco mais de disciplina” diz Agnaldo Santos, seu treinador desde o início de sua carreira. O espaço para aperfeiçoamento não é apenas físico, ela tem aulas de inglês entre os treinos, algo importante para quem realiza várias viagens internacionais.

"Muito do que eu tenho hoje é graças ao esporte", diz Assíria da Silva, lutadora de wrestling

Por ser um meio majoritariamente masculino teve de se adaptar em certos momentos e apesar da relutância de sua mãe, ela sempre teve apoio de seu pai assim como de seus irmãos e de Agnaldo. 

Assíria atualmente ocupa o primeiro lugar no ranking geral brasileiro, aos jovens atletas ela aconselha “A carreira de atleta não é para sempre, então enquanto houver tempo, não desista. Continue fazendo a sua parte, seja constante e trabalhe com o que você tem, mesmo que não seja muito. Dê sempre o seu melhor, pois tudo que se planta, colhe. E seu momento vai chegar. Acredite sempre em si e nas pessoas que acreditam e investem em você também, e aprenda a gostar de todo o trajeto de treinamento e não somente do resultado final”.

"Muito do que eu tenho hoje é graças ao esporte", diz Assíria da Silva, lutadora de wrestling

Fonte: Ascom Fundesporte.
Fotos: Divulgação

Fale com a Redação