Repórter-fotográfico Valdernir Rezende faleceu de Covid-19 (Foto: Marcelo Calazans)

Na linha de frente desde o início da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), os profissionais da imprensa estão todos os dias se colocando em alto risco de contágio para levar a informação a população, nesse sentido o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor-MS) pediu a Secretaria do Estado de Saúde (SES) e a Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau) de Campo Grande que a categoria seja incluída como grupo prioritário na vacinação contra a Covid-19.

O presidente do Sindicato, Walter Gonçalves Filho, disse ao Enfoque MS que no início da vacinação não eram muitas doses disponibilizadas, mas que no momento houve aumento na produção de doses e também na destinação dos imunizantes pelo Ministério da Saúde. “Não tinha vacina no início nem para os da Saúde e agora que aumentou o fluxo de vacinação, e também aumentou de casos de jornalista infectados”, ressaltou o presidente.

A imprensa de Mato Grosso do Sul perdeu cerca de sete profissionais para a Covid-19, entre eles o ex-secretário de Comunicação do governo do Estado, Guilherme Filho, do fotógrafo do Correio do Estado, Valdenir Rezende. Além das vítimas, vários outros foram contaminados pela doença, a jornalista Suzan Benites é uma delas. Suzan testou positivo para o novo coronavírus junto com o pai, a mãe e o irmão, apenas ela sobreviveu as complicações da doença.

O pedido de Walter é para que cerca de 500 profissionais sejam vacinados em Campo Grande e outros 400 no interior do Estado. “O Sinjor representa Campo Grande e outros 53 municípios. Aí temos o Sinjorgran (Sindicato dos Jornalistas Profissionais na Região da Grande Dourados) em Dourados que representa 25 cidades”, destacou.

Confira os ofícios encaminhados pelo Sindjor:

Na linha de frente em cobertura da pandemia, sindicato de jornalistas pede prioridade na vacina
Comentários