Divulgação

Com formação em psicologia e atuação frequente na política estadual, João é pré-candidato à vereador

No dia 28 de junho, é comemorado o Dia do Orgulho LGBT+ (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis e outros grupos). A data faz alusão à um episódio ocorrido em Nova York, em 1969, quando frequentadores de um bar reagiram a uma série de batidas policiais realizadas com frequência no local, motivadas pela intolerância. Em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, o psicólogo e homem trans João Vilela tem muitos motivos para comemorar. Após enfrentar anos de crises na descoberta de sua identidade, Vilela encontrou aceitação própria e da família. Hoje, quer ajudar outras pessoas da comunidade, por meio da política.


João atua como presidente estadual da Diversidade no Partido Democrático Trabalhista (PDT) e é pré-candidato a vereador. Para ele, a visibilidade é fundamental na luta por mais direitos. “Há alguns anos, o espaço ‘destinado’ à essa população era o submundo, o não visto, a chacota. Depois de muitas lutas e algumas conquistas, essa população começa a conseguir adentrar em espaços sociais”.


De acordo com Vilela, a jornada da pessoa LGBT para o sucesso é mais trabalhosa que a de pessoas heteronormativas, devido o preconceito. Ainda assim, começa a se observar indivíduos desse grupo tendo destaque. “Com todas as dificuldades e preconceitos, esse grupo começa a ter acesso à graduação, estar em postos altos de trabalho, aparecer nas novelas sem fazer o papel de sátira e conseguir cargos políticos”.


O psicólogo salienta que, mesmo com as progressivas evoluções do movimento social, ainda restam questões para serem trabalhadas. “Muitas pessoas LGBT’s ainda passam por questões de violência, são expulsos de casa e sofrem com a falta de oportunidades. Ter esses grupos em espaços de poder é mudar as perspectivas, é dar uma nova visão e, consequentemente, oportunidades para toda a diversidade”.


Exercendo papel de destaque na carreira e em grupos políticos, João Vilela sonha com a inclusão completa, em todos os espaços da sociedade. Para isso, pede a colaboração da sociedade. “Os chefes, políticos, donos de empresas, entre outros líderes, precisam ser as pessoas que darão oportunidade para que LGBT’s desenvolvam as suas habilidades”.

Comentários