03/06/2020 14h25
Da redação com informações da Ascom

É celebrado nesta quarta-feira (3) o Dia da Conscientização Contra a Obesidade Infantil. Neste ano, além de frisar sobre os cuidados e práticas para evitar este problema de saúde, é importante alertar os riscos que as crianças correm se contaminadas pela Covid-19.

De acordo com a endocrinologista pediátrica da Unimed Campo Grande, Dra. Caroline Nantes Chaia, “a obesidade já é considerada um processo crônico de baixo grau inflamatório e associada à Covid-19, que também leva a um processo inflamatório, eleva a gravidade da doença”.

Sem contar que a doença pode trazer para a criança riscos como a hipertensão arterial, complicações cardiovasculares, alteração na autoestima, diabetes, alteração de colesteróis, resistência insulínica e impacto na qualidade de vida com comprometimento físico decorrente de alterações musculoesqueléticas, intolerância ao calor, cansaço e falta de ar.

Para evitar e combater a obesidade infantil é necessário adotar cuidados essenciais na rotina dos pequenos. “Alimentação saudável e adequada para cada fase da criança e adolescente, atividades físicas, sono adequado, controle no tempo usado em frente ao computador, tablet, celular ou televisão, são alguns dos métodos”, destaca a médica.

É indispensável também o acompanhamento regular com pediatra para avaliação de medidas antropométricas (ramo da antropologia que estuda as medidas e dimensões das diversas partes do corpo humano) para idade.

Além da atenção redobrada para prevenir a obesidade em crianças, é preciso também se atentar aos fatores que levam o desenvolvimento desta doença, que, de acordo com a médica cooperada da Unimed Campo Grande, são: prematuridade, bebês pequenos para idade gestacional, filhos de mães diabéticas, pais obesos, interrupção precoce do aleitamento materno, introdução inadequada da alimentação complementar com oferta de alimentos ricos em gordura e açúcares, e o leite de vaca antes de um ano de idade.

Atividades Físicas indicadas

Como um dos métodos indicados para combater e prevenir a obesidade infantil, é fundamental que as atividades sejam prazerosas e adequadas ao estado individual de crescimento da criança, por isso, segundo a Dra. Caroline, cada idade tem uma atividade indicada.

Entre 0 e 2 anos é importante que as crianças sejam ativas por curtos períodos, mas várias vezes ao dia, e as atividades indicadas para elas são: brincar, engatinhar, arrastar, andar e rolar.

Já dos 3 aos 5 anos podem ser introduzidas atividades físicas estruturadas como: natação, danças, lutas, esportes coletivos, além de brincadeiras que devem acumular, pelo menos, três horas, distribuídas ao longo do dia.

Por fim, na fase dos 6 aos 19 anos deve ser considerar pelo menos uma hora de atividades físicas de intensidade moderada a alta. O peso utilizado deve ser o peso corporal. “Lembrando que é aconselhável iniciar com um volume de atividades menor, e com o tempo ir aumentando a duração, frequência e intensidade” auxiliou a médica.

Divulgação

Comentários