Coronavírus. (Imagem/Divulgação)

Mato Grosso do Sul teve recorde histórico de 297 óbitos

No encerramento da semana 14/2021 da Covid-19 Mato Grosso do Sul teve recorde histórico de 297 óbitos (taxa de letalidade em 2,1) e 8.570 casos e uma alta taxa de contágio de 1,11%. A informação é da secretária adjunta de Saúde, Christine Maymone, durante a live desta segunda-feira (12).

Com grande defasagem de dados, 1,172 amostras em análise e 6.590 casos sem encerramento nos sistemas dos municípios, o Boletim Epidemiológico da SES trouxe registro de 770 novos casos nas últimas 24 horas e mais 37 mortes causados pela Covid 19 no MS.

Os cinco municípios que registraram maior número de novos casos são Campo Grande, com mais 381 exames positivos, seguida de Três Lagoas com + 106 casos; Dourados +51; Corumbá +27 e Nova Alvorada do Sul + 19.
A capital continua com o maior número de infectados em toda a pandemia, apresentando o total de 89.641 pessoas. Dourados vem em segundo lugar com 25,499; Três Lagoas 11,692; Corumbá 11.359 e Naviraí com 6.148 ultrapassando Ponta Porã que registra 5.335 casos no total.

Doença continua aumentando rastros
As mortes registradas até esta segunda-feira, são de moradores das cidades de Campo Grande (19), Dourados e Três Lagoas (6), Paranaíba (2), Chapadão do Sul, São Gabriel do Oeste, Nova Alvorada do Sul e Itaporã um morte em cada.

De acordo com os dados do Boletim Epidemiológico, observa-se que as mulheres são mais afetadas pela doença (53,0%), enquanto o registro de mortes é maior entre os homens (54,5%).

Variantes do novo coronavírus miram os jovens

A idade das pessoas que se contaminam está diminuindo consideravelmente, em virtude da circulação de duas novas variantes – P1 e P2 – extremamente contagiosas e, obviamente, pelo desrespeito às regras sanitárias, como vem sendo alertado pelos especialistas.
Pacientes entre 30 e 39 anos somam 23,6% do total de casos notificados. E jovens com idade entre 20 e 29 anos representam 19% dos que testam positivo para a Covid 19.
Neste momento 12.424 pessoas estão em isolamento domiciliar. Outras 1.246 encontram-se hospitalizadas em leitos clínicos (709) e UTI (537). A maioria em leitos públicos.
Lembrando que a ocupação hospitalar segue bastante alta. Nas cinco macrorregiões do Estado ultrapassa os 90% de ocupação. Em Campo Grande e Dourados não há mais leitos disponíveis e pacientes estão em fila de espera.

Comentários