Bombeiros em ação no combate aos incêndios na Fazenda Brasil Fronteira, entre Corumbá e Porto Murtinho. CBMS

Entre os dias 7 e 13 de agosto, a Operação Pantanal II, ação integrada dos governos estadual e federal que combate as queimadas no Pantanal de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, reduziu de 301 para 50 o número de focos de incêndio na região. A informação é do balanço do Corpo de Bombeiros de MS apresentado em coletiva realizada na manhã desta sexta-feira (14) e transmitida pelas redes sociais do Governo do Estado. Confira aqui o documento.

Número de focos de incêndio no Pantanal cai de 301 para 50
Corpo de Bombeiros e Semagro fizeram um balanço das operações de combate às queimadas transmitido pelas redes sociais

A Operação Pantanal II é comandada pela Marinha em Ladário, pelo contra-almirante Sérgio Gago Guida, em parceria com os governos estaduais de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, por meio do Corpo de Bombeiros dos dois Estados, com o apoio dos brigadistas do Ibama/Prevfogo, Defesa Civil, PMA, militares da Marinha e apoio logístico do Exército Brasileiro. A Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) coordena o comitê de ações no âmbito da administração estadual.

“Sem todo esse esforço conjunto, a situação seria inimaginável. Tivemos uma redução expressiva no número de focos de incêndio no Pantanal, mas temos ainda os impactos na biodiversidade pantaneira, os prejuízos à fauna, à flora e à atividade econômica da região. Os combates continuam enquanto houver focos de incêndio no Pantanal. O governo proibiu as queimadas de qualquer natureza nesse período, seja em área rural ou urbana. Por isso, é importante que a população denuncie essa prática por meio do 193, para que possamos investigar e fiscalizar”, comentou o secretário Jaime Verruck, da Semagro.

Previsão de chuvas

De acordo com o tenente-coronel Moreira, do CBMS, os focos atualmente se concentram em três áreas: Sesc Pantanal, no Mato Grosso; em Corumbá e na Terra Indígena Kadweus. “Nossa estimativa é de que, em Mato Grosso do Sul, cerca de 910 mil hectares do Pantanal foram queimados entre janeiro e agosto deste ano. Somados a cerca de 640 mil hectares no Mato Grosso, são 1,55 milhão de hectares de vegetação atingida pelo fogo no Bioma Pantanal em 2020”, informou o tenente-coronel.

Número de focos de incêndio no Pantanal cai de 301 para 50
Jaime Verruck (centro) destacou a ação conjunta, envolvendo governo e Forças Armadas, no controle dos focos de incêndios

A coordenadora do Cemtec/Semagro (Centro Estadual de Monitoramento do Tempo e do Clima da Semagro), Franciane Rodrigues, informou que a partir do próximo domingo (17), haverá condições favoráveis para o registro de chuva na região pantaneira, sul, sudoeste e central de Mato Grosso do Sul. O mesmo deve ocorrer na segunda-feira (18) e terça-feira (19), praticamente nas mesmas áreas.

“Vamos iniciar a semana alguns dias de boas condições de chuva na região atingida pelas queimadas. De 22 a 30 de agosto, no entanto, não há indicações de chuva na região, mas a partir do dia 22, a temperaura deve cair em todas as regiões, com a chegada de uma frente fria ao Estado”, comentou Franciane. Confira aqui o relatório do Cemtec/Semagro.

Sala de Situação

O contra-almirante Guida, da Marinha de Corumbá informou que “o trabalho das Forças Armadas atualmente está focado na região da Terra Indígena Kadweu, na Serra do Amola e Porto Jofre. Para o nosso trabalho contamos com uma aeronave do Exército e outra da Marinha, com as quais estamos realizando cerca de 50 voos diários”.

Desde março, o Governo do Estado, por meio da Semagro, criou uma rede permanente de combate às queimadas e manteve ativa a Sala de Situação, onde as condições climáticas são monitoradas para embasar ações estratégicas e preventivas.

Comentários