A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional de Mato Grosso do Sul, se manifestou sobre bate-boca entre promotor e advogado, que quase foi as vias de fato, durante sessão do Tribunal do Júri de Campo Grande, na última sexta-feira (24).

A briga verbal entre o promotor Douglas Oldegardo Cavalheiro dos Santos e o advogado Alex Viana de Mello se deu no julgamento do motoentregador Bruno Cézar de Carvalho de Oliveira, de 25 anos, acusado de matar Emerson Salles Silva, de 33 anos, em agosto do ano passado em uma lanchonete, na Avenida Mato Grosso, em Campo Grande.

Segundo nota da OAB/MS houve exasperação dos ânimos com ofensas pessoais por parte do Promotor de Justiça em face do advogado do acusado, e com isso a Ordem emitiu nota repudiando as falas depreciativas do mesmo com acusações que “a priori” transbordam os limites da razoabilidade. 

Na mesma nota, a OAB/MS aguardará a remessa dos autos para devida apuração, tanto pelo Conselho da Seccional quanto pela Corregedoria do Ministério Público, conforme já adiantou o Juiz Aloísio Pereira dos Santos.

“A OAB/MS reafirma seu compromisso com a defesa intransigente das prerrogativas profissionais, do Estado Democrático de Direito, do contraditório e da ampla defesa, pilares constitucionais de uma sociedade mais justa e igualitária”, finalizou.

No dia dos fatos, o juiz teve que acionar a Polícia Militar e os jurados foram retirados do plenário. A discussão, com direito de dedo na cara e ameaça de ‘porrada’ se deu nos momentos finais do julgamento.

Mesmo assim, o julgamento foi concluso, onde o motoentregador acabou sendo condenado a 14 anos de prisão.

A ata e áudios dos julgamentos foram encaminhados para a OAB e ao Ministério Público.

Comentários