(Fotos: Saul Schramm)

Nos primeiros dias em operação, o programa OCOP (Obtenção de Capacidade Operacional Plena), da Policia Militar (PMMS), já surtiu efeitos no tempo resposta das ocorrências. O programa foi lançado na segunda-feira (12) pelo governador Reinaldo Azambuja, junto com a entrega de 48 novas viaturas, que já estão sendo usadas em diligências nas sete regiões de Campo Grande.

A nova estratégia de atendimento à população fez com que a Polícia Militar zerasse o número de ocorrências não atendidas na região metropolitana da capital. Segundo o coronel Macedo, na terça-feira (13), um dia após o lançamento do OCOP, nenhuma ocorrência ficou sem atendimento. No mesmo dia da semana passada, 21 ocorrências ficaram sem atendimento.

OCOP acelera tempo resposta das ocorrências atendidas pela PM em Campo Grande
Coronel Macedo: com o OCOP quem ganha é a população

O comandante do Policiamento Metropolitano, coronel André Macedo, afirmou que o grande fluxo de ocorrências, o número de viaturas e a falta de setorização das equipes dificultava o atendimento de algumas ocorrências. “Pela setorização, onde a viatura roda pelo espaço geográfico menor, além de fazer a prevenção de maior qualidade, conseguimos atender em um tempo resposta mais hábil”, disse.

O Programa OCOP foi criado para coordenar e monitorar as viaturas em tempo real, tornando o atendimento mais ágil. Em uma “sala de situação”, sete policiais ficam monitorando as sete regiões de Campo Grande. Eles são os analistas de empenho responsáveis por direcionar as ocorrências à equipe policial que está mais próxima.

OCOP acelera tempo resposta das ocorrências atendidas pela PM em Campo Grande
Monitoramento das viaturas em tempo real melhora eficiência no atendimento das oorrências

Campo Grande tinha, antes do lançamento do programa e a entrega de novas viaturas, 15 veículos nas ruas diariamente. Agora, o número praticamente triplicou, passando para 45 viaturas. Para o coronel Macedo, não é apenas o número de viaturas nas ruas que mudou a realidade do atendimento à população, mas também a estratégia de policiamento. “Essas viaturas, agora, se encontram setorizadas, e essa setorização tem por base diminuir a área de atuação delas para que elas possam ter uma execução muito mais eficaz naquele local, que ele também tenha uma proximidade maior com a comunidade onde estão trabalhando, isso facilita muito o trabalho do policial militar, e também dá mais tranquilidade para o cidadão”, disse.

Comentários