30.8 C
Campo Grande
quinta-feira, 18 de julho, 2024
spot_img

Oficina de percussão está com inscrições abertas no Centro Cultural José Octávio Guizzo

Estão abertas as inscrições para a oficina gratuita de percussão brasileira no Centro Cultural José Octávio Guizzo, unidade da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. As aulas serão ministradas pelo musicista Chico Simão, ao todo são ofertadas 25 vagas, as inscrições são gratuitas e devem ser feitas pela internet. Poderão se inscrever pessoas a partir de 14 anos, não precisa ter conhecimento sobre percussão.

O objetivo da oficina é fomentar a cultura local através de atividades culturais coletivas gratuitas Centro Cultural. Busca-se formar um grupo de percussão focado na pesquisa e execução dos ritmos brasileiros nos encontros às terças, quintas-feiras e sábados, das 18h às 20h, os alunos aprenderão sobre o instrumento, como manuseá-lo e tirar som com cadência e aprender a tocar de fato em grupo.

Os instrumentos serão disponibilizados pelo professor e oferecidos gratuitamente para os alunos, assim como sua manutenção e cuidados. Para o professor e artista Chico Simão “é uma oportunidade de aprender um novo instrumento, sentir como é a percussão na música e desenvolver a musicalidade de cada participante”.

O Oficineiro

Paulistano, músico com graduação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, pós-graduado em Gestão Cultural, fundador, professor e produtor do grupo de percussão Bojo Malê, baterista e percussionista da banda Sarravulho, professor e produtor de eventos e projetos culturais.

Chico Simão acumula em seu currículo mais de 20 anos de experiência como percussionista e baterista e ministra oficinas de música em grandes capitais como Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Campo Grande, Bonito, Corumbá, Ivinhema e Coxim.

Desde 1997 dedica-se à pesquisa de sons e ritmos da música brasileira e da costa oeste africana como Guiné e Senegal, difundindo diversas manifestações culturais populares como Maracatu Nação de Baque Virado, Capoeira, Maculelê, Samba, Samba-Reggae e Percussão Corporal.

Para Chico Simão, tocar um instrumento e socializar por meio da prática musical são atividades que trazem uma série de benefícios, tanto a nível individual quanto coletivo. “Tocar um instrumento por si só já é algo muito enriquecedor, Estudos mostram que aprender a tocar um instrumento pode melhorar habilidades cognitivas, como memória, concentração e raciocínio. Isso ocorre devido à complexidade envolvida na produção musical, que estimula diferentes áreas do cérebro. Tocar um instrumento exige coordenação entre mãos, olhos, dedos e mente. Esse processo auxilia no desenvolvimento da motricidade fina e da habilidade de multitarefa. A música é uma forma poderosa de expressar emoções e sentimentos. Através da prática musical, é possível externalizar emoções de uma maneira saudável e positiva”.

Fale com a Redação