14.8 C
Campo Grande
sexta-feira, 12 de julho, 2024
spot_img

Ônibus velhos e quebrando fez hoje passageiros fecharem terminal Morenão

Após ônibus mais uma vez ‘quebrar’, fato recorrente no transporte coletivo de Campo Grande, que se encontra na maioria com veículos velhos, fez passageiros protestaram e a realizar um bloqueio, se fechou uma das plataformas do Terminal Morenão, na manhã desta terça-feira (24).

Segundo leitor do Enfoque MS, os ônibus que chagavam no terminal, ficaram parados por cerca de 20 minutos, em uma das plataformas. Imagens mostram a plataforma lotada, enquanto alguns chegam a parar em frente a um coletivo para não se movimentar.

Segundo outra leitora, mulheres também teriam protestado por assédio nos coletivos, enquanto outro leitor indicou que usuários do transporte teriam se revoltado pela frota reduzida em horário de pico.

Equipes da Guarda Civil Metropolitana foram acionadas, mas a manifestação transcorreu de forma pacífica. E após, algumas horas do protesto, as linhas voltaram as rotas normalmente, em ambas plataformas.

Terminal lotado

Imagens compartilhadas por leitores mostram as estações lotadas, inclusive com passageiros extrapolando a linha de segurança. No momento do protesto, usuários do transporte reclamavam da constante lotação, principalmente em linhas para a área central.

Sem posição ou a mesma de sempre

O consorcio Guaicurus, que tem a concessão na Capital, há mais de três década e que tem contrato por mais uma década, ao menos, nos próximos dez anos, até momento não se manifestou. E a empresa junto a prefeitura, quando acontece algum problema pior, sempre apontam que estão trabalhando para melhorar o sistema.

Contudo, a cada ano que passa, das administrações anteriores até atual, nada de grande ação é feita e o conjunto de ônibus só envelhece e fica mais obsoleto e até provocando acidentes, como já noticiamos.

Em 2012, no apagar das luzes da segunda gestão do então prefeito Nelsinho Trad, hoje senador, aconteceu a toque de caixa, uma licitação no mínimo estranha, que concedeu mais 30 anos, ao Consórcio Guaicurus, ue nem teve concorrente no certame.

Além do transporte coletivo, o mesmo aconteceu com ou para a empresa Solurb, da coleta de lixo do município, e para a concessionará de Saneamento da Capital, Águas Guariroba. Tudo, muito provavelmente, principalmente devido, por então ter havido uma eleição inédita de oposição, com Alcides Bernal, que venceu o pleito eleitoral do final do mês de outubro.

Agora, já após, 11 anos, quase findando a terceira administração da Prefeitura, há processo judiciais, contestando as então licitações e vencedores. Existe até sentença em julgado contra a Solurb e Guaicurus, mas devido as protelações do Judiciário Brasileiro, os casos estão parados ou a passos muito lentos e empresa continua a frente dos negócios, que não tem boa avaliação da população.

Fale com a Redação