Durante esta terça-feira (14), a PF (Polícia Federal) deflagra a Operação Aqueus, que tem como foco um grupo criminoso atuante no tráfico de drogas com dois líderes moradores de Três Lagoas, cidade localizada a 327 Km da Capital. A quadrilha já teria movimentado mais de R$ 155 milhões em pouco mais de um ano.

As ações cumprem mandados em várias cidades do Mato Grosso do Sul, entre elas Campo Grande, Três Lagoas, Ponta Porã e Água Clara. São 29 mandos de prisão, 63 de busca e apreensão e ainda bloqueio de bens a serem executados hoje.

Além do MS os trabalhos das equipes policiais também seguem sendo conduzidas em outros estados brasileiros, onde a operação cumpre mandados em cidades de São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

Investigações estão sendo feitas desde 2020, período em que foram identificadas as ações criminosas do grupo que comprava as drogas na cidade de Ponta Porã, fronteira com Paraguai, e posteriormente encaminhava para Campo Grande, onde ficava armazenada. Já no depósito de Três Lagoas era distribuída para municípios do interior do estado, Minas Gerais e litoral de São Paulo.

Para movimentar as quantias estratosféricas ganhas com o tráfico, a quadrilha realizava depósitos em contas jurídicas de empresas fantasmas, que eram usadas somente para a lavagem do dinheiro. As investigações apuraram uma movimentação de mais de R$ 155 milhões feitos em um espaço de tempo de aproximadamente 14 meses.

Já os chefes do crime, residentes em Três Lagoas recebiam os lucros através de entregas feitas por veículos em dinheiro vivo, além de contas bancárias de familiares participantes do esquema de drogas.

Como forma de mascarar o imenso patrimônio, os ganhos eram investidos principalmente em imóveis, comprados em nomes de “laranjas”. Em uma varredura da polícia em cerca de um ano, por meio de depósitos em contas de terceiros, os líderes do tráfico teriam movimentado mais de R$ 3,5 milhões. Porém, calcula-se que a quantia deve ser muito maior, levando em conta os valores recebidos em espécie.

As investigações já contribuíram para a prisão de oito pessoas em flagrante e apreensões de mais de meia tonelada de drogas. E também a identificação de carregamentos pertencentes a outros suspeitos.

Os mandados incluem sequestro de 13 imóveis, bloqueio de mais de 30 contas bancárias de pessoas jurídicas e físicas. Cumpre também 63 de busca e apreensão, 23 de prisão preventiva e mais 7 de prisão temporária. Dentre os bens sequestrados estão uma Fazenda no município de Água Clara e uma casa de veraneio à beira-rio em Três Lagoas, avaliados em mais de R$ 4 milhões.

Operação Aqueus

A origem do nome da operação é baseada na Guerra de Troia, que faz alusão ao povo Aqueu, nome dado ao povo da Antiga Grécia que venceram com inteligência e estratégia a cidade de Troia.

Lembrando conforme a história da batalha entre Aquiles e Heitor, no qual padeceu sob a lança de seu inimigo líder dos Aqueus e ainda não por coincidência é o nome de um dos investigados.

Comentários