Nesta quinta-feira (28), 11 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em cinco municípios de MS

28/05/2020 09h30
Da redação

A Polícia Federal deflagra nesta manhã (28), a 4ª fase da Operação Arithmoi, quarta fase da Operação Nepsis, que apura o envolvimento de policiais e recebimento de propina por parte desses servidores públicos para facilitar o contrabando de cigarros do Paraguai.

Sete servidores da Polícia Civil investigados desde 2018 como possíveis líderes do esquema de distribuição de valores realizados pela Máfia dos Cigarros para facilitar o contrabando forma pegos. Cinco já estão suspensos de suas atividades publicada e outros dois estão aposentados.

Na ação de hoje, serão cumpridos 11 mandados de busca e apreensão nos municípios de Amambai, Iguatemi, Itaquiraí, Naviraí e Ponta Porã, expedidos pela 2ª Vara Federal de Ponta Porã. Uma equipe com 60 policiais cumpre os mandados expedidos pela 2ª Vara Federal de Ponta Porã.

A 4ª fase da Operação “Arithmoi”, que significa “números” em grego, tem relação com à contabilização de vantagens indevidas encontradas nas listas de pagamento.

“A Organização Criminosa investigada na Operação Nepsis formou um verdadeiro consórcio de grandes contrabandistas, com a criação de uma sofisticada rede de escoamento de cigarros contrabandeados do Paraguai, a qual se estruturava em dois pilares: um sistema logístico de características empresariais e, ainda, a corrupção de policiais para facilitar o esquema criminoso”, afirma em nota a Polícia Federal.

O ínicio da operação se deu a partir da identificação de listas de contabilidade contendo registros de pagamento a esses servidores na região do Conesul. Na relação constava documentos e celulares apreendidos de membros dos quadrilheiros, alvos da 1ª fase da Operação Nepsis, deflagrada em 22 de setembro de 2018.

Uma coletiva de imprensa está agendada para as 10 horas na Superintendência da PF em Campo Grande para mais esclarecimentos.

Divulgação

Comentários