Dos 15 autuados, quatro foram constatados no teste do bafômetro. Divulgação

A operação foi realizada na noite desta sexta-feira ontem (4) na avenida Dr. Sabino, em Aquidauana.

O Batalhão da Polícia Militar de Aquidauana com apoio da equipe do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran-MS) flagraram 15 condutores alcoolizados, durante operação Cidade Segura, realizada na noite de ontem (4), na Avenida Dr. Sabino.

PM e Detran flagram 15 motoristas alcoolizados em operação Cidade Segura

Segundo balanço da assessoria da PM, foram realizados 120 testes de alcoolemia.

Dos 15 motoristas identificados na blitz, onze recusaram a realizar o teste. Dois tiveram resultado em até 0,33 miligrama de álcool por litro de ar expelido no teste do etilômetro (bafômetro), sendo realizado apenas autuação administrativa. Outros dois, o resultado do teste foi acima dos 0,33 mg/L de álcool. Um deles, teve o registro de 1,16 mg/L de álcool, considerado um resultado bastante elevado. Ambos os casos, os autores foram presos e encaminhados para a Polícia Civil, por embriaguez ao volante.

A força-tarefa ainda encontrou sete condutores sem habilitação e nove com licenciamento vencido. Foram 12 CNHs (Carteiras Nacionais de Habilitação) recolhidas. Três carros foram recolhidos e seis motos. 

Penalidades por embriaguez

O motorista é preso quando apresenta mais de 0,33 miligrama de álcool por litro de ar expelido no teste do etilômetro (bafômetro). Ele é punido com multa de R$ 2.934,70. O condutor também tem a carteira de habilitação recolhida e passa por processo de cassação da licença. A pena é de detenção de seis meses a três anos.

Quando a quantidade de álcool detectada for abaixo de 0,33mg/l, o condutor é autuado, tem CNH retida e paga multa. Nos dois casos, o motorista pode ter o veículo retido, caso não haja pessoa habilitada no momento para conduzir.

Recusa

O motorista parado em uma blitz policial ou que se envolve em um acidente pode se recusar a realizar o exame de bafômetro, mas não está livre de punições. Ele receberá o mesmo tratamento dado ao condutor comprovadamente embriagado.

Comentários