imagem ilustrativa

A Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA) designou uma equipe em busca da mãe e do padrasto da menina de 7 anos, que após ser ferida com disparo de chumbinho, na tarde de ontem (22), foi deixada em um posto de saúde no bairro Tiradentes. A Polícia Civil quer esclarecer todos os detalhes do ocorrido.

De acordo com a delegada Elaine Cristina Benicasa, que é responsável pela investigação, “as informações ainda estão muito nebulosas. Só temos as informações que chegaram pela guarnição da Polícia Militar”, disse.

O padrasto da criança é comerciante e a mãe empregada doméstica. Ele cuidava da menina enquanto a mãe trabalhava. A família mora no bairro Jardim Noroeste.

Segundo a mãe da criança, à polícia militar, o padrasto ouviu o barulho de um disparo e encontrou a menina ferida no quintal. Ele então a socorreu e levou até a UBS do Tiradentes e ligou avisando ela. Mas, a polícia quer saber de quem é arma de pressão, quem estava na casa na hora do acidente e também porque o padrasto deixou a criança e foi embora da unidade de saúde.

Num primeiro momento a suspeita era de que a criança tivesse sido atingido por uma bala perdida, disparada por arma de fogo. Mas, depois do raio-x a equipe médica constatou que era uma bala não letal de chumbinho.

A criança foi encaminhada para a Santa Casa de Campo Grande e após avaliação bucomaxilofacial não foi preciso passar por cirurgia. O projétil está alojado na região nasal e ainda não tem data para a retirada.

A menina passa bem e já recebeu alta na manhã de hoje (22).

Comentários