A Polícia Militar e Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul realizaram na noite de ontem (27) a operação “Cidade Segura” com foco na Lei Seca.

Durante toda a noite e madrugada de hoje as equipes coibiram a crescente prática envolvendo bebida alcoólica e direção, algo que gera diversos transtornos à segurança pública e a outras áreas, como a saúde, por exemplo.

Polícia Militar e Detran realizam operação em Miranda

Os resultados obtidos foram significativos e mostram a efetividade da operação, segundo a comandante do 2º Pelotão de Miranda, Tenente QOPM Mirna.

Foram realizados 93 testes de etilômetro, resultando nove recusas ao teste e constatados duas embriaguez, inclusive uma delas com 1,17 mg/L de álcool por litro de ar alveolar.

Ainda foram identificados sete veículos com licenciamentos vencidos, cinco condutores sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

A Oficial da PM, afirma que a fiscalização e repressão às condutas ilícitas serão práticas comuns na cidade. Ademais, orienta a população que observem as normas de trânsito e lembra que “direção e álcool não combinam”.

Penalidades por embriaguez

O motorista é preso quando apresenta mais de 0,33 miligrama de álcool por litro de ar expelido no teste do etilômetro (bafômetro). Ele é punido com multa de R$ 2.934,70. O condutor também tem a carteira de habilitação recolhida e passa por processo de cassação da licença. A pena é de detenção de seis meses a três anos.

Quando a quantidade de álcool detectada for abaixo de 0,33mg/l, o condutor é autuado, tem CNH retida e paga multa. Nos dois casos, o motorista pode ter o veículo retido, caso não haja pessoa habilitada no momento para conduzir.

Recusa

O motorista parado em uma blitz policial ou que se envolve em um acidente pode se recusar a realizar o exame de bafômetro, mas não está livre de punições. Ele receberá o mesmo tratamento dado ao condutor comprovadamente embriagado.

Comentários