Vistoria aconteceu na manhã desta quinta-feira (Fotos: Polícia Nacional)

Narcotraficante preso em maio é apontado como mandante de chacina

A Polícia Nacional com Ministério da Justiça do Paraguai realizam desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (14) uma operação no presídio Regional de Pedro Juan Caballero, cidade vizinha a Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, na fronteira entre Brasil e Paraguai.

O objetivo da operação é encontrar provas sobre execuções registradas nos últimos sete dias na fronteira, relacionadas ao crime quádruplo do qual a filha do governador, Hailé Acevedo, foi vítima; Osmar Alvarez, vulgo ‘Bebeto’ e duas estudantes brasileiras.

Desde o último fim de semana, série de homicídios mobiliza forças policiais. De acordo com investigações das autoridades paraguaias, há fortes indícios de que o narcotraficante Faustino Ramón Aguayo Cabañas, de 44 anos, seja o mandante da chacina que resultou na morte de quatro pessoas no último sábado na cidade que faz fronteira com Ponta Porã.

De acordo com o promotor Marcelo Pecci, um dos integrantes da comitiva do Ministério Público, informou que, durante a vistoria à cela de Ramón Aguayo, três telefones foram retirados do interno e um da mulher que o acompanhava.

“Muito luxo mesmo, são pessoas que estão aproveitando todo o conforto”, explicou Pecci.

Os telefones apreendidos serão analisados ​​para a coleta de dados que confirmem a ligação de Aguayo com o quadruplo homicídio; entretanto, mantém a “presunção de inocência”.

Comentários