A aplicação saída líquida de R$ 3,524 bi em março (Foto: Usp Images)

A aplicação saída líquida de R$ 3,524 bi em março; no ano, a poupança acumula retirada líquida de R$ 27,542 bilhões

A tradicional caderneta de poupança registrou saída líquida de R$ 3,524 bilhões em março, acumulando saldo negativo pelo terceiro mês consecutivo em 2021, informou o Banco Central nesta quarta-feira (7). No ano, a poupança acumula retirada líquida de R$ 27,542 bilhões.

O desempenho negativo se dá após a poupança ter batido recorde de aplicações no ano passado e ainda não ter captado os eventuais efeitos do início da concessão da nova rodada do auxílio emergencial aos mais vulneráveis, cujo pagamento teve início nesta semana.

No mês passado, os saques superaram os depósitos em R$ 4,849 bilhões no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo, enquanto na poupança rural houve ingresso líquido de R$ 1,325 bilhão.

O saldo negativo ocorre na esteira do fim do pagamento do auxílio emergencial, no encerramento de 2020. Assim, nestes primeiros meses de 2021, o efeito do auxílio emergencial sobre novos depósitos na poupança não foi percebido.

Além disso, a caderneta foi impulsionada em 2020 pela maior cautela das famílias brasileiras. Preocupadas com a renda futura e com medo do desemprego, muitas delas reduziram gastos e passaram a aplicar recursos na poupança, o que elevou o saldo. Este movimento foi o que o próprio BC chamou de “poupança precaucional”.

Em contrapartida, as famílias passaram a enfrentar, neste início de 2021, as tradicionais despesas de início de ano (IPTU, IPVA, matrículas de filhos em escolas particulares e gastos com material escolar), além de um ambiente ainda negativo para a economia. Estes fatores favorecem os saques na poupança, com muitos brasileiros precisando de recursos para fechar as contas.

A poupança é remunerada atualmente pela taxa referencial (TR), que está em zero, mais 70% da Selic (a taxa básica de juros), hoje em 2,75% ao ano. Na prática, a remuneração atual da poupança é de 1,93% ao ano. O porcentual não cobre necessariamente a inflação.

Esta regra de remuneração da poupança vale sempre que a Selic estiver abaixo dos 8,50% ao ano. Quando estiver acima disso, a poupança é atualizada pela TR mais uma taxa fixa de 0,5% ao mês (6,17% ao ano).

Fonte: Reuters com Agência Estado

Comentários