Escola Municipal Maria Conceição Angélica. (Foto/Divulgação prefeitura Dourados)

As aulas presenciais foram suspensas em setembro, mas atendimento na instituição continua normalmente

A Escola Municipal Maria Conceição Angélica receberá a reforma completa de toda a estrutura do telhado da instituição. O local foi interditado pela Defesa Civil em setembro de 2021 e, desde então, manteve as aulas remotas, mas com atendimentos presenciais, já que o setor administrativo da instituição não está nas áreas de risco e continua a receber pais e alunos.

De setembro a dezembro de 2021, a Semop (Secretaria Municipal de Obras) preparou todo o projeto para substituir o telhado do local. Agora, no dia 20 de janeiro, será realizada a tomada de preços, que define a empresa ganhadora da licitação e que assumirá as obras, que começarão o mais rápido possível, assim que a licitação for definida.

A escola têm 16 anos e nunca passou pelo processo de descupinização, que impede a proliferação de cupins, o que provocou danos em vigas importantes para sustentação da estrutura do pátio central da escola e derrubou o forro.

Para garantir que o serviço seja permanente e duradouro, o secretário de Obras, Luis Gustavo Casarin, apontou que a melhor escolha é a mudança no material usado na estrutura. “No projeto nós estabelecemos que será utilizado o telhado de metal, para evitar que essa situação volte a ocorrer no futuro. Já o forro de PVC será substituído por um novo e, do telhado, estipulamos que conseguiremos aproveitar cerca de 80% das telhas existentes”, ressaltou.

A secretária de Educação, Ana Paula Benítez Fernandes, destacou que o melhor tem sido pensado para benefício dos estudantes matriculados na instituição da Reme (Rede Municipal de Ensino). “Esse é um trabalho para benefício de toda a comunidade escolar da região. Em que, mesmo com as aulas presenciais suspensas, o administrativo continuou a atender os pais e alunos que procuravam a escola para entregar atividades escolares, ou buscá-las”, concluiu.

A diretora da escola, Luciene Olimpia Silva Silveira, ressalta que a prefeitura atendeu prontamente ao ser comunicada do problema. “Está correndo tudo dentro do previsto, conforme foi combinado com o prefeito Alan e com a secretária de educação, que iniciaríamos as obras em janeiro e que as aulas voltariam presencial. É de grande valia essa benfeitoria, essa reforma, tendo em vista que não é uma questão da gestão atual, esse problema já vem de vários anos e agora que foi realmente detectado.

Agradecemos o prefeito por ter vindo aqui na escola e pelas providências tomadas e os encaminhamentos feitos. Não é verdade que não foi feito nada, temos os documentos apresentados pela defesa civil e o diário oficial. Estamos felizes e acreditando que no dia 20 de janeiro vai começar e vamos conseguir atender nossos alunos no ano letivo de 2022”.

Comentários