A Prefeitura de Campo Grande continua divulgando que mantém o trabalho intenso para recuperação dos estragos provocados pelo temporal que atingiu a cidade na última sexta-feira (15). E um dos dados apontados nesta terça-feira (19), é que as equipes de serviços fazem uma média de 150 viagens por dia, somando 6 mil quilômetros rodados, para recolher árvores que caíram durante o vendaval. Assim, seriam 150 caminhões ao dia com entulhos retirados da cidade, entre sábado e hoje, ou mais principalmente nos últimos dois dias.

Segundo o biólogo Ricardo Brandão, que coordena as equipes , o número diário de árvores removidas   vai aumentar na medida que ao invés de exemplares de grande porte (prioridade nesta fase inicial do serviço) haja só árvores menores para remover . Entre sexta-feira e sábado, foram feitos 624 pedido de remoção de árvores pelo telefone 156.

” Nestes dois dias, a prioridade foi retirar árvores que caíram sobre a rede elétrica  e com isto restabelecer o fornecimento de energia, além de desobstruir o trânsito. São operações mais demoradas, que dependem do apoio da Energisa para que seja feito com segurança”, explica.

Uma destas situações foi na Avenida Florestal, acesso ao Conjunto Coophatrabalho, onde um enorme exemplar de ingazeiro caiu sobre a rede. Nesta terça-feira as equipes trabalharam para retirar outro ingazeiro de grande porte na Rua Oceania , região do Bairro Tiradentes. Também teve frente de serviço na Rua Rádio Maia (Vila Popular); na Rua Valdir Lago (Aero Rancho); Avenida  Alberto Araújo Arruda (Mata do Jacinto) ; Avenida Rita Vieira( Rita Vieira); Avenida Gunter Hans (São Jorge da Lagoa); Rua Ponta Porã e Yokoama (Santo Amaro).

Descarte no Ecoponto

Até sexta-feira os 5 ecopontos em funcionamento na cidade receberão  volume um pouco acima de 1 metro cúbico de galhos e troncos de quem quiser fazer a remoção de pequeno porte que tiver caído em frente da casa ou no quintal. “Uma quantidade que caiba num utilitário de pequeno porte .Já  o resíduo que estiver na carroceria de um caminhão médio, será autorizado que o próprio motorista leve carga para descarte no aterro”, explica o superintendente de Serviços Públicos, Medhi Talayeh.

Corta rio

Em outra frente de serviço para recuperar os estragos do temporal, foi feito o corta rio (o desvio do canal do canal) para iniciar a recuperar a travessia sobre o Córrego Segredo na Rua Veridiana, no Estrela do Sul . A expectativa, se o tempo ajudar , é que na próxima semana seja liberada a passagem na travessia feita em tubo armco para a Mata do Segredo.
Várias equipes estão trabalhando na limpeza de bocas de lobo; tapa-buraco e manutenção de vias não pavimentadas.

Fonte: Ascom PMCG

Comentários