A diretora do Procon Coxim, Géssica Soares, divulgou nesta sexta-feira (24), dados positivos e ratificou a orientação que vem sendo dada aos consumidores, que caíram no golpe da ‘carta contemplada’, a procurarem o órgão. A boa notícia é que após a abertura do processo administrativo pelo órgão local, a empresa está firmando acordo de devolução do valor ao consumidor. O interessado deve levar cópia do contrato, documentos pessoais e comprovante de endereço para registrar sua reclamação.

Conforme lembra a diretora, essa modalidade de golpe prejudicou vários consumidores em Coxim, entre os chamados “golpe da carta contemplada”, “do financiamento” ou ainda o “golpe do consórcio” . “Os nomes dados ao golpe, saõ este ou até outros, que era ou ainda é praticado por pessoas que se dizem intermediadoras de negócios e, supostamente, disponibilizam vantagens que farão a diferença na hora de adquirir um bem”, mencionou Géssica

Segundo o Procon, o golpe funciona por meio de propaganda na mídia ou nas redes sociais. Os golpistas oferecem um bem móvel ou imóvel a preço muito atrativo e em condições de pagamento irrecusáveis. “Na primeira modalidade do golpe, é garantido verbalmente ao consumidor que ele está adquirindo uma cota contemplada de um bem e que para ter acesso a ela precisa realizar o pagamento de uma entrada para liberação do valor do ‘consórcio’ e, consequentemente, liberação de valores para aquisição daquele bem” –, explicou Renan Lobato, coordenador de Fiscalização do Procon.

Depois do pagamento da entrada e do contrato assinado, o consumidor é orientado a aguardar os trâmites para transferência das cotas e liberação dos valores, o que não acontece e os golpistas, quando respondem, se restringem a sempre dizer que houve um problema nos trâmites, mas que será resolvido. O consumidor caiu em um golpe.

Comentários