Apesar de 2020 ter se demonstrado um ano atípico devido a inúmeros fatores, principalmente a ocorrência  de pandemia que inibiu as atividades de modo  geral, as ações da Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon estadual), foram intensas, conforme balanço divulgado nesta segunda-feira (11).

O setor de fiscalização realizou 461 diligências, resultando em 265 autos de infração e 201 relatórios de visita ou constatação, quando não se registra irregularidades.

O mês de setembro foi o período em que mais houve ações por terem sido constatadas verídicas a maior quantidade de denúncias realizadas por consumidores que tiveram seus direitos lesados por fornecedores.

Em se tratando de ramos de atividade, os setores mais reclamados e, consequentemente os que  receberam maior número de ações (118) foram os de comércio em geral, estando englobados neste item, salões de beleza, estacionamentos, lojas de acessórios para celulares e de departamentos, clubes e restaurantes entre outros.

Na sequência, supermercados.  Neste caso foram 105 autuações, seguidos por bancos (92) e postos de  combustíveis (66). Inúmeros outros setores com menor ocorrência mas, nem por isso, menos importantes foram penalizados devido a problemas na relação de consumo. Entre estes pode-se elencar farmácias, meios de transporte, instituições de ensino, clinicas e  auto escolas.

Comentários