Nas próximas três quartas-feiras de novembro, o Programa Sou Mulher UFMS, junto ao projeto de extensão Mulher, Saúde e Cidadania, irá realizar palestras on-line para combater e conscientizar a sociedade sobre a violência contra as mulheres.

Transmitidas pelo canal da TV UFMS, as lives abordarão violência obstétrica, violência de gênero e violência doméstica e familiar, com palestrantes da Defensoria Pública do Estado de Mato Grosso do Sul e da Subsecretaria de Políticas para a Mulher de Campo Grande.

“Estamos realizando as lives sobre prevenção à violência contra a mulher agora no mês de novembro, porque no ano 2000, a Assembleia Geral da ONU adotou o 25 de novembro como Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher, chamando governos, organizações e instituições para realizarem ações coordenadas para aumentar a conscientização sobre a prevenção das diferentes formas de violência contra mulher”, explica a diretora de Inclusão e Integração Estudantil, Luciana Contrera.

O intuito é educar e empoderar as mulheres para que elas possam se proteger e proteger amigas e familiares. “O principal objetivo para contribuir para o empoderamento dessas mulheres é para que elas possam refutar todo tipo de violência que possa ser sugerida para ela – doméstica, familiar, obstétrica, de gênero, institucional…”, diz a professora Sandra Freitas, coordenadora do projeto de extensão Mulher, Saúde e Cidadania.

Violência obstétrica

Programa Sou Mulher UFMS realiza palestras sobre violência contra a mulher

A primeira palestra, “Violência obstétrica: violação dos Direitos Humanos das mulheres”, será dia 10, às 18h30, ministrada pela defensora pública Thaís Dominato Silva Teixeira, coordenadora do Núcleo Institucional de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem), conselheira no Conselho Estadual de Direitos da Mulher de Mato Grosso do Sul e integrante da Comissão dos Direitos da Mulher do Colégio Nacional dos Defensores Públicos (Condege).

“Nessa live a gente vai tentar abordar o que é violência obstétrica, quem a pratica, quando a mulher pode sofrer essa violência, vamos falar das más condutas, vamos dizer no que isso impacta negativamente na vida das mulheres, em sua saúde e em sua qualidade de vida”, comenta Thaís.

De acordo com a defensora, a assistência humanizada é um dever da sociedade para com as mulheres e, quando elas não recebem essa assistência, isso se constitui como uma violação dos Direitos Humanos. “Nós estamos falando de direitos das mulheres e nós estamos falando de direitos que têm fundamento nos tratados internacionais, na Constituição Federal, na Legislação Federal e na normativa do Ministério da Saúde. Então, a assistência humanizada é um direito, não é um capricho da mulher, não é um favor que os profissionais de saúde fazem – há uma normativa que prevê essa assistência humanizada”, reforça.

As próximas palestras serão nos dias 17 e 24, com a psicóloga Márcia Paulino e a advogada Carla Stephanini, respectivamente. Acompanhe o Portal UFMS e as redes sociais institucionais para mais informações.

Programa Sou Mulher UFMS realiza palestras sobre violência contra a mulher
Programa Sou Mulher UFMS realiza palestras sobre violência contra a mulher

Comentários