Com projeção de avanço de área para oleaginosa em Mato Grosso do Sul, o Plantio da Soja Soja Safra 2021/2022 foi oficialmente aberto em cerimônia transmitida ao vivo, pelo Canal do Boi, nesta terça-feira (28). Para a próxima temporada, a estimava para área plantada é de 3,7 milhões de hectares, aumento de 7% em relação ao ciclo anterior. 

Durante o evento, o presidente do Sistema Famasul, Marcelo Bertoni, ressaltou a aptidão do estado para a produção pecuária e de grãos que, aliada a outros fatores, contribuem para o avanço do setor. “Esse perfil da agropecuária sul-mato-grossense, somado à ciência e tecnologia, ao empreendedorismo dos produtores, que aplicam as inovações na propriedade, às políticas públicas, os investimentos em infraestrutura elevam o patamar produtivo do estado. Além disso, temos a abertura de novos mercados, viabilizados pela ministra Tereza Cristina, que apresenta para o mundo o que nossos produtores fazem de melhor, que é produzir com qualidade e sustentabilidade”, afirmou Bertoni.  

A apresentação dos dados referentes à estimativa e evolução das safras da soja no estado foram apresentados pelo presidente da Aprosoja/MS, André Dobashi.

“Estamos bastante otimistas nessa safra que se inicia e temos muita esperança nos produtores que irão distribuir essas sementes da melhor forma possível. Nas expectativas para o clima não constam chuvas volumosas, mas sinaliza uma boa distribuição, com isso acredito que teremos um bom resultado”, destacou o presidente da Aprosoja/MS, André Dobashi. 

Levando em consideração o histórico de produção e as intempéries climáticas, a produção deve ser de 12,7 milhões de toneladas, 4% inferior à última safra, que foi de 13,3 milhões de toneladas. A média da produtividade da oleaginosa pode girar em torno de 56 sacas por hectare.

Devido às intempéries climáticas, a produção deve ser de 12,7 milhões de toneladas, 4% inferior à última safra, que foi de 13,3 milhões de toneladas. A média da produtividade da oleaginosa pode girar em torno de 56 sacas por hectare.

“A evolução no setor agrícola é fruto de uma ampla parceria que dá segurança ao produtor para que ele plante e, mesmo com intempéries climáticas, obtenha grandes números. Em dez anos crescemos 10 sacos na média por hectare. Paralelo a isso, o governo executa seus programas com foco em infraestrutura, logística, entre outros incentivos, que adequam o estado à evolução da cadeia de grãos”, reforçou o governador Reinaldo Azambuja. 

 “O investimento do produtor tem como resposta a demanda, o mercado aquecido. O mundo depende de produtividade e dos resultados, e isso exige cada vez mais ferramentas tecnológicas para produzir com eficiência e segurança”, disse o secretário da Seinfra, Eduardo Riedel. 

“Em Mato Grosso do Sul estamos com expansão de novas áreas, incorporamos mais de 1, 2 milhão de hectares, mais de 250 mil hectares em relação à área do ano passado. Com produtor capitalizado e mercado aquecido, a projeção é excelente”, acrescenta o secretário da Semagro, Jaime Verruck.

Fonte: Ascom Sistema Famasul

Comentários