O professor Cesar Floriano criou e colocou em prática da disciplina o Projeto de Vida e Pós-Médio (Foto: Sthefany Lima)

As atividades das escolas da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul têm sido diferentes em tempos de pandemia. Professores e alunos cada vez mais conectados à internet vêm mantendo o aprendizado online, de forma criativa e integrada.

Projetos que antes eram de sala de aula agora estão no mundo virtual. Um deles é para os alunos da Escola Estadual Joaquim Murtinho, em Campo Grande, onde os jovens do ensino médio utilizam a fotografia, tirada do celular, como ferramenta de preservação do meio ambiente.

Adaptado para a nova realidade, o “Click Verde” surgiu em 2013 no curso de Publicidade e Propaganda da UCDB.  “Com objetivo de levar educação ambiental para alunos de escolas públicas, orientando sobre o papel de cada um deles na sociedade”, revela o professor Gabriel Ferracioli.

Mesmo depois de modificações por causa da pandemia, o projeto continua atraindo os estudantes. “Ter participado do curso foi uma realização pessoal. Aprendi muitas técnicas (de fotografia). Foi um crescimento pessoal”, diz Sthefany Lima, de 18 anos.

“A oficina mostra a educação ambiental através da fotografia e como ela pode impactar a vida das pessoas”, completou  Jhonatan Norberto, de 17 anos, estudante do primeiro ano. “É bom saber que o projeto continuou de forma online nos incentivando a continuar nas aulas”, falou.

O professor Cesar Floriano criou e colocou em prática da disciplina o Projeto de Vida e Pós-Médio (Foto: Sthefany Lima)

E manter os estudantes atentos às atividades nesse novo formato de ensino é um desafio que tem sido vencido com criatividade e união de toda a coordenação da escola estadual, avalia o professor Cesar Floriano, da disciplina de Projeto de Vida e Pós-Médio. 

“Estamos vivendo um momento de transformação e nós precisamos nos reinventar em parcerias que fortalecem o processo da educação”, afirmou. “É gratificante ver alunos participando da oficina no contraturno, de forma remota, e por iniciativa própria”, destacou.

Como a ideia do projeto é mostrar que “para trabalhar com fotografia não precisa de equipamento de última geração, mas sim de um bom olhar, curiosidade e interesse pelo ambiente”, nas palavras do professor Gabriel, o curso já tem despertado interesses profissionais nos jovens.Aluna Sthefany Lima resgistroucenas do meio ambiente, tema central

Um deles é o Jhonatan, que já tinha aptidão para a fotografia, se interessou mais pela atividade e já consegue ver um futuro profissional nessa área. “O Clik Verde aumentou minha vontade. Eu já tinha ideias de ser fotógrafo ou trabalhar com fotos e agora quero mais”, falou. 

Bruno Chaves, Subcom

Comentários