Divulgação/ABC Clor

A Polícia Civil e o Ministério Público do Paraguai afirmaram que existe a suspeita de ligação entre a execução do empresário paraguaio Cristóbal Rojas, com a lavagem de dinheiro do crime organizado, realizado em casas de câmbios na fronteira.

Rojas e os irmãos eram sócios dessas casas de câmbio. Uma delas a Zafra Câmbios, é investigada por lavagem de dinheiro do narcotráfico no âmbito da Operação Status, deflagrada semana passada pela Polícia Federal e Senad.

O empresário de 57 anos, era conhecido como “Dom Nenê”. Ele era dono de um dos principais shoppings da cidade de Salto del Guairá. O sequestro aconteceu na terça-feira (15), ele foi torturado e assassinado a tiros. Já o corpo foi abandonado em uma estrada rural na cidade vizinha com o município de Mundo Novo.

O promotor Christian Bartomeu, que acompanha as investigações, admitiu suspeita de ligação da morte com a lavagem de dinheiro, durante entrevista à rádio ABC Color na manhã desta quinta-feira (17).

“Estamos averiguando quais eram os vínculos dos irmãos Rojas com casas de câmbio, mas aparentemente estavam tentando vender as ações. Se havia algum problema, a família ainda não relatou”, disse o promotor.

Ninguém foi preso até o momento e a polícia paraguaia segue sem pistas dos assassinos..

Comentários