(Foto: Sérgio Souza/ SindjorMS)

Cerca de 2 mil pessoas iniciaram uma marcha pelas ruas do centro, saindo da concentração na praça do Rádio Clube, contra o governo de Jair Bolsonaro (sem partido), na manhã deste sábado (24). O manifesto é apoiado por movimentos sociais, grupos LGBT, negros e indígenas.

Logo após a saída da concentração na praça, pela Avenida Afonso Pena, houve princípio de confusão com motoristas, na altura do cruzamento com a Rua Pedro Celestino, que queria cruzar a avenida.

A Polícia Militar acompanhou e ordenou o trânsito no local, evitando maiores conflitos entre usuários da via e manifestantes.

Os manifestantes desceram a Avenida Afonso Pensa rumo à 14 de Julho até a Rua Cândido Mariano e retornando à Afonso Pena pela Rua 13 de Maio para finalizar o itinerário na Praça do Rádio, local da concentração inicial.

O principal tema do protesto foi o impeachment do presidente da República, além de outras oito pautas prioritárias nos ‘últimos tempos’, dentre eles as mortes por covid atribuídas ao presidente, a lentidão da vacinação, os supostos casos de corrupção na compra de imunizantes, além de auxílio emergencial, alto custo de vida e reforma administrativa. 

Já o grupo indígena presente na passeata, protesta contra o projeto de lei 490, em discussão na Câmara e que define novas regras para a demarcação de terras indígenas. 

Na manifestação estavam presentes o deputado federal Vander Loubet (PT) e o deputado estadual, Amarildo Cruz (PT). O deputado federal, Dagoberto Nogueira, do PDT, passou rapidamente pelo evento.

Além da Capital, a mobilização também foi registrada em Aquidauana, Corumbá, Jardim, Nova Andradina e Ponta Porã. Em todo país 430 cidades foram para as ruas contra o governo.

Comentários