(Foto: Jonne Roriz/COB)

A equipe brasileira de ginástica está na reta final da preparação para o mundial da modalidade que acontece em Kitakyushu (Japão) entre os dias 18 e 24 de outubro. E uma das grandes esperanças do Brasil na competição é a medalhista olímpica Rebeca Andrade, que no evento participará apenas de três aparelhos (salto, paralela e trave), não disputando o individual geral.Rebeca Andrade participará de três aparelhos no Mundial na próxima semanaRebeca Andrade participará de três aparelhos no Mundial na próxima semana

Esta decisão segue um planejamento que foi traçado para a Olimpíada de 2024 (Paris). “A equipe discutiu e analisou esta longa temporada e a alta exigência até aqui. Entendemos que, para que a Rebeca possa fazer o solo com bom nível técnico e seguro, a carga de treinamentos precisaria ser maior e mais complexa, nesse momento pós-Olimpíada e planejamento a longo prazo não seria adequado. Rebeca segue competitiva no salto, barra e trave e vamos buscar a classificação para as finais. Após o Mundial ela fará um período de descanso necessário e merecido, para se preparar para o novo ciclo”, declarou o técnico da atleta, Francisco Porath, à Confederação Brasileira de Ginástica.

Apesar da vontade de voltar a brilhar no solo sob o ritmo do Baile de Favela, Rebeca Andrade afirma que considera a decisão acertada, que lhe permitirá alcançar novas conquistas no futuro: “Precaução, planejamento, análise médica e física e respeito com o meu corpo. Venho de um momento em que fiz uma preparação muito difícil. Para chegar aqui e fazer o mesmo solo que vinha fazendo, exigiria muito do meu corpo. Sei que todos gostariam de me ver fazendo Baile de Favela. Eu também! Mas tenho que ser inteligente agora e saber que este não é o momento. Mas não fiquem tristes! Logo, logo o meu solo estará de volta”.

Rebeca Andrade é a única representante do Brasil no feminino. Na disputa masculina a equipe brasileira contará com Arthur Nory, Caio Souza e Luís Porto.

Fonte: Agência Brasil

Comentários