Dois meses após faturar ouro e prata na Olimpíada de Tóquio, a ginasta brasileira Rebeca Andrade voltou a fazer história na modalidade ao conquistar neste sábado duas medalhas – novamente ouro e prata –  para o país em uma mesma competição. Desta vez, a paulista de Guarulhos foi a melhor no salto e vice nas paralelas assimétricas no Mundial de Ginástica Artística, em Katyushu (Japão). Rebeca é 1ª brasileira com ouro e prata em um só Mundial de GinásticaRebeca é 1ª brasileira com ouro e prata em um só Mundial de Ginástica

“Estou muito feliz com esse resultado. As duas medalhas são bem importantes. Depois da Olimpíada, eu tinha que controlar o que estava sentindo, e consegui. Queria muito essa medalha na paralela, há muito tempo”, disse sorridente a medalhista, em depoimento à Confederação Brasileira de GInástica (CBG).  E completou: “Hoje faço parte das lendas do Brasil. Entendo bem o lugar e a posição em que estou. Trabalho com muita força, vontade, garra. Faço tudo com amor e alegria. Tudo o que você faz assim, dá certo”.

A ginasta, de 22 anos, sobrou no salto sobre a mesa, assim como já fizera nos Jogos de Tóquio, que resultou no ouro.  Rebeca foi às alturas nos dois saltos da final – um Cheng (15,133) e um Yurchenko (14,800) – totalizando 14,966, deixando para trás a italiana Asia D’Amato (14,083) e a russa Angelina Melnikova (13,966).

Na prova preferida da brasileira, as paralelas assimétricas, Rebeca fez um final equilibrada e ficou com a prata (14,633), a apena um décimo da chinesa Xiaoyuan Wei (14,733) que conquistou o ouro.  O bronze foi para a chinesa Luo Rui, que apesar de somar o mesmo total que Rebeca (14,966), ficou atrás da brasileira nos critérios de desempate (melhor execução). 

Rebeca volta a competir às 5h (horário de Brasilia) deste domingo (24), na final da trave. A partir das 6h, Caio Souza compete na final das barras paralelas.

Fonte: Agência Brasil

Comentários